Terça-Feira, 21 de Janeiro de 2020, 11h:15

Tamanho do texto A - A+

OAB se pronuncia sobre contratação de Bruno e destaca que instituições não devem julgar moral

Por: KHAYO RIBEIRO

A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional de Mato Grosso (OAB-MT) se posicionou sobre a contratação do goleiro Bruno Fernandes, 34 anos, pelo Clube Esportivo Operário Várzea-grandense (CEOV) por meio de uma carta aberta. No documento, a organização reitera que instituições não devem se dobrar a julgamentos morais e ressalta ainda a importância da ressocialização de condenados pela Justiça à sociedade.

Na carta, a Ordem se coloca em posição de vigilante e à disposição da população pelo cumprimento de direitos sociais que caracterizam o Estado Democrático de Direito. Contudo, destaca que cada indivíduo deve conviver com as consequências de seus atos, seja na esfera pessoal ou profissional.

Ainda segundo a OAB, a ressocialização e a inserção no mercado de trabalho devem, sim, ser executadas. Porém, a organização também aponta que os direitos das mulheres devem ser zelados.

“Diante dos fatos recentes envolvendo a contratação de um atleta por um clube de futebol de Mato Grosso, a Comissão de Direito da Mulher da OAB-MT continua seu trabalho e compromisso de zelar pelos direitos das mulheres”, narra trecho final do documento.

Manifestação popular

Nesta terça-feira (21), um evento será realizado no Estádio Dito Souza, em Várzea Grande, contra a vinda do goleiro para o Operário. A manifestação é organizada por um grupo de mulheres que pede por maior responsabilidade social por parte do time de futebol.

“Transformar um feminicida em um ídolo para crianças, homens e mulheres, não é papel de um time de futebol. As empresas que financiam o Operário também precisam se perguntar se estão patrocinando o futebol, como ação social útil, ou patrocinando um feminicida?”, disse Gláucia Amaral, administradora do evento e presidente do Conselho Estadual de Direitos da Mulher (CEDM).

Liberação judicial

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) autorizou a proposta do time Clube Esportivo Operário Várzea-grandense (CEOV) de contratar o goleiro Bruno Fernandes, 34 anos, condenado pelo homicídio triplamente qualificado de Eliza Samúdio.

A liberação para contratação determinada pela Justiça de Minas Gerais foi feita poucos dias após a autorização de transferência do atleta para Mato Grosso.

Antes do Operário Várzea-grandense acertar com Bruno, foi divulgado que o Cuiabá Esporte Clube estaria negociando com o atleta. Entretanto, a informação foi negada pelo time.

Por meio de sua conta no Instagram, Bruno confirmou já ter sido contratado. Ao responder o comentário de um internauta, o goleiro disse que "Já estou empregado".

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei