Quinta-Feira, 17 de Setembro de 2020, 19h:34

Tamanho do texto A - A+

Mãe de Isabele rebate Cestari sobre pedido de perdão: "Quando essa dor passará?"

Por: RAYNNA NICOLAS

A empresária Patrícia Guimarães Ramos, mãe de Isabele Ramos, 14 anos, morta com um tiro no rosto, rebateu, nesta quinta-feira (17), as declarações dadas à imprensa por Marcelo Martins Cestari. Marcelo, que é pai da adolescente que matou Isabele, afirmou que aguarda a dor de Patrícia passar para pedir perdão à família.  

reprodução

Isabele

 Isabele Guimarães Ramos e a mãe, Patrícia Guimarães Ramos.

Indignada com a declaração, Patrícia questionou o empresário sobre quando a dor de perder uma filha passará. "Vai me procurar quando essa dor passar? Me diga, Sr. Marcelo Cestari, quando isto vai acontecer? Qual é o momento opotuno em que minha dor passará?"

Como noticiado pelo HNT/HiperNotícias, na quarta-feira (16), quando sua filha obteve Habeas Corpus e deixou o Centro Socioeducativo Menina-Moça, Marcelo Martins Cestari disse que tentou pedir perdão à família de Isabele, mas não obteve sucesso.

LEIA MAIS: Cestari diz que tentou pedir perdão a família de Isabele em velório, veja vídeo

Segundo o empresário, ele estaria esperando um momento oportuno para que pudesse se retratar com Patrícia. "No momento oportuno e no momento que essa dor passar, eu acredito que vamos conseguir sentar e conversar", disse.

Marcelo ainda argumentou que sua filha, a atiradora responsabilizada pela morte de Isabele, estaria triste por perder a melhor amiga. Mas a mãe da adolescente rebateu o empresário. 

"Que afirmação é essa que sua filha perdeu a melhor amiga e estaria triste por isso? Triste está a minha família por esse assassinato cruel e frio", rebateu Patrícia em uma rede social. 

Isabele foi morta no dia 12 de julho, na casa do empresário Marcelo Cestari. O empresário sustenta a versão de que o que aconteceu foi um acidente, mas o inquérito policial concluiu que a adolescente, filha de Marcelo, que efetuou o disparo que matou Isabele, cometeu ato infracional análogo a homicídio doloso, isto é, quando há intenção ou, pelo menos, se assume o risco de matar. 

 

Credito: Reprodução/Facebook
Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei