Sábado, 30 de Maio de 2020, 17h:37

Tamanho do texto A - A+

Estudantes de MT pedem "socorro" de R$ 15 mil à ALMT para retornarem ao Brasil

Por: KHAYO RIBEIRO

Um grupo de universitários mato-grossenses, que está realizando intercâmbio na Colômbia, encaminhou uma carta em caráter de urgência à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) pedindo que a Casa de Leis custeie a viagem de volta ao Brasil. Bolsistas em programas universitários, seis estudantes de um grupo de oito alunos não têm dinheiro para pagar as passagens, que são orçadas cada uma no valor de R$ 2,5 mil.

Reprodução/Arquivo Pessoal

mobilidade academica colombia 2

Cerimônia da Secretaria de Relações Internacionais da UFMT antes da ida dos estudantes ao exterior.

No documento, direcionado ao presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (DEM), os estudantes relatam que há semanas aguardam posicionamento da Embaixada do Brasil em Bogotá a fim de terem assegurado o direito de retorno ao Brasil. Contudo, somente na sexta-feira (29), o órgão representativo anunciou um “voo humanitário” para trazer os estudantes para casa.

Segundos os universitários, a viagem está marcada para o dia quatro de junho e os alunos têm até domingo (31) para confirmarem a presença no voo. Porém, não há subsídio para os estudantes bolsistas arcarem com os custos da viagem, a qual cada passagem está orçada em 468 dólares – que na cotação diária deste sábado (30) equivale a R$ 2.494,44.

“Fizemos a carta para buscar apoio do nosso Estado porque o governo não nos deu esse apoio. O voo, que fui divulgado pela Embaixada custa R$ 2,5 mil. É uma quantia que nós enquanto estudantes bolsistas não temos. Nossa universidade está tentando esse contato, mas acredita que não consiga resposta em tempo útil para que a gente consiga ir embora nesse voo. A gente acredita que no nosso estado a gente encontre essa resposta para nos levar de volta”, disse o estudante Maycon Esquer, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

À reportagem, o estudante apontou que acredita que a ALMT disponha de recurso que possam ser disponibilizados com uma tramitação mais rápida e, por conta disso, a Casa de Leis seria a instituição mais adequada a ajudar por conta do caráter de urgência da situação. Ele ressalta que todos já estavam com passagens compradas, mas que foram canceladas sem possibilidade de renovação.

O drama narrado por Maycon se estende aos outros integrantes do grupo que estão na Colômbia. No total, oito universitários aguardam voo de retorno, mas dois destes alunos têm garantidas as passagens de volta pela Avianca – linha aérea que realizará o voo no dia quatro.

Na carta, os estudantes reforçam que não têm condições financeiras de arcarem com os custos totais da viagem, que pode chegar próximo dos R$ 15 mil, quando somadas as passagens dos seis universitários desassistidos por qualquer acordo com a Avianca.

O HNT/HiperNotícias entrou em contato com a ALMT, que informou ainda não ter recebido a carta dos estudantes. A comunicação da presidência da Casa de Leis apontou também que qualquer resposta administrativa só poderá ser realizada a partir de segunda-feira (01).

Leia mais:

Devido à pandemia, estudantes da UFMT pedem ajuda para retornar ao Brasil

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei