Quinta-Feira, 20 de Fevereiro de 2020, 10h:50

Tamanho do texto A - A+

Equipe de TV é agredida por "amarelinhos" após denúncia de veículos irregulares; veja vídeos

Por: WELLYNGTON SOUZA

(Atualizada ás 11h40) Uma equipe de reportagem da TV Cidade Verde foi agredida por agentes de trânsito, mais conhecido como 'amarelinhos', na manhã desta quinta-feira (20), após denúncia de veículos irregulares da própria Secretaria de Mobilidade Urbana em Cuiabá (Semob). O cinegrafista da equipe teve um dos dedos quebrados. 

semob.png

 

O repórter Ricardo Martins afirmou que as agressões partiram também do diretor da Semob, Michel Diniz. “Nossa equipe acaba de ser agredida na frente da Semob pelo Diniz, com a conivência de vários agentes de trânsito. O cinegrafista está sangrando, quebraram a nossa câmera. Diniz me deu uma chave de braço e me enforcou”, disse Ricardo que compartilhou as imagens das agressões em grupos de WhatsApp.

“Esses caras [amarelinhos] estão aplicando multas na cidade e estão com veículos irregulares. A gente veio flagrar uma caminhonete que está irregular. Depois de ter sido feita uma apreensão ilegal, descobriram que o veículo estava irregular. A verdade é levada doa a quem doer. Eles deveriam ter o mínimo de consciência", desabafou.

Confusão em blitz 

Pendências nas documentações em viaturas da Polícia Civil e da Semob causaram um transtorno entre as forças de segurança, durante uma blitz, na noite desta quarta-feira (19), em Cuiabá. 

Tudo aconteceu quando agentes da Semob realizavam uma blitz no bairro Imperial, em Cuiabá. Durante os trabalhos, os “amarelinhos” ordenaram que os policiais parassem a viatura e realizaram a checagem na viatura da Gerência Estadual da Polinter

Na abordagem, os agentes descobriram que a viatura estava com o documento atrasado. Diante disso, os amarelinhos pediram para que os policiais saíssem do carro e chamaram um guincho para fazer a remoção do veículo.

Nota de repúdio 

A Associação Cinegrafista de Mato Grosso repudiou, por meio de nota, os atos de agressão e cerceamento ao livre exercício profissional da equipe de reportagem. "Os atos de agressão foram expressamente direcionados não apenas aos profissionais diretamente atingidos, mas sim a todo o jornalismo brasileiro”, diz trecho da nota.

“Constatou-se a total falta de tolerância ao trabalho da imprensa, que tem como missão informar a sociedade brasileira. Essa intolerância comprometeu o caráter da própria instigação realizadas pelos profissionais da imprensa", ressalta.

Confira nota na íntegra:

A Associação Cinegrafista de MT, vem a público repudiar com veemência os atos de agressão e cerceamento ao livre exercício profissional dos jornalistas Ricardo Martins, repórter, e Odilson Figueiredo (ZARDO), cinegrafista, da TV Cidade Verde, quando ambos os representantes da imprensa realizavam seu trabalho de cobertura de uma matéria jornalística em frente a (SEMOB), na cidade de Cuiabá e foram agredidos quando ambos os representantes da imprensa realizavam seu trabalho de cobertura Jornalística.

Os atos de agressão foram expressamente direcionados não apenas aos profissionais diretamente atingidos, mas, sim, a todo o jornalismo brasileiro. Constatou-se a total falta de tolerância ao trabalho da imprensa, que tem como missão informar a sociedade brasileira. Essa intolerância comprometeu o caráter da própria instigação realizadas pelos profissionais da imprensa.

A prerrogativa do jornalista é sagrada, independe da opinião de cada um dos profissionais envolvidos no relato dos fatos ou da forma como a notícia é registrada, pois o compromisso inarredável é com o fato.

Portanto, devido é sempre o respeito à prerrogativa profissional dos que exercem o jornalismo, como condição de compromisso com a liberdade de expressão e de imprensa. A falta de respeito e a repressão arbitrária da informação e da comunicação social, atentam contra a sociedade, a Pátria e o Estado Democrático de Direito.

Deplorável foi, é e será, qualquer ação de indivíduo, grupo de pessoas ou organizações, que aviltar a sociedade intentando destruir o exercício do direito de informar, transmitir e opinar, com ética, dignidade e profissionalismo.

A CMT permanece à disposição dos jornalistas agredidos, para apoiá-los no que for necessário, inclusive com departamento jurídico, reiterando seu histórico compromisso – firmado há mais de oitenta e seis anos, no dia 1º de maio de 1933, na defesa incondicional da liberdade de imprensa.

Cuiabá, 20 de fevereiro de 2020.

Gilvair gracioso

Presidente da associação dos Cinegrafistas de MT

KLEYTON AGOSTINHO

Assessoria da associação

Veja vídeos: 

 

 

Confira na íntegra a nota da TV Cidade Verde

A TV Cidade Verde manifesta seu veemente repúdio à agressão sofrida na manhã desta quinta-feira (20) pelo repórter Ricardo Martins e pelo cinegrafista Odilson Zardo, que estavam no exercício da profissão, apurando uma denúncia sobre um carro da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) que circula pela Capital durante a realização de fiscalizações e aplicação de multas, estando supostamente em situação irregular.

Ao chegar à Semob para apurar a denúncia, a equipe da TV Cidade Verde foi agredida pelo diretor de Trânsito da Secretaria, Michel Diniz, que quebrou a câmera e machucou o Odilson Zardo. O profissional tinha marcas de sangue em virtude da agressão. O diretor ainda tentou dar uma “chave de braço” e enforcar o repórter Ricardo Martins. A equipe registrou um boletim de ocorrência.

O episódio mostra uma situação grave de desconhecimento do papel da imprensa e uma afronta ao direito de liberdade de expressão. É importante destacar que um país democrático precisa de uma imprensa livre que possa efetivamente comunicar à população sobre o que está acontecendo nas diversas esferas dos poderes, sempre com apuração e responsabilidade.

É muito grave, triste e lamentável esse episódio de violência contra a equipe de reportagem da TV Cidade Verde. Jornalistas no exercício da profissão não podem ser cerceados e, muito menos, agredidos durante a produção de uma reportagem de interesse público.

Avalie esta matéria: Gostei +2 | Não gostei - 1