Cidades Segunda-feira, 14 de Novembro de 2011, 08:25 - A | A

Segunda-feira, 14 de Novembro de 2011, 08h:25 - A | A

REBELIÃO

Detentos ateiam fogo e promovem terror no Capão Grande

Cerca de 150 presos se rebelaram na cadeia públia; policiais tiveram que usar armas de borracha e vários detentos ficaram feridos

DA REDAÇÃO

 

Polícia Militar/Divulgação

Após o motim, cerca de 50 detentos tiveram que ser transferidos para a Penitenciária Central do Estado, antigo presídio do Pascoal Ramos

Cerca de 150 presos da Cadeia Pública de Capão Grande, em Várzea grande, promoveram momentos de terror na noite deste domingo (13). Os detentos atearam fogo em colchões, quebraram algumas paredes e desafiaram os policiais com pedaços de pedras e madeiras. O Corpo de Bombeiros e a Ronda Ostensiva Tátivo Móvel (Rotam) foram acionados para tentar conter o motim e o incêndio.

Segundo informações do 4º Batalhão da PM, a rebelião começou quando alguns presos tentaram fuga no sábado (12), porém sem sucesso. No domingo, duas alas da cadeia, com 75 presos cada uma, se rebelaram e o tumulto tomou proporções de rebelião.

Policiais da Rotam tiveram que usar munições antimotim e vários detentos ficaram feridos. Um policial foi levado para o Pronto-Socorro de Várzea Grande intoxicado pela fumaça. Após o motim, cerca de 50 detentos tiveram que ser transferidos para a Penitenciária Central do Estado, antigo presídio do Pascoal Ramos.

A Cadeia Pública de Capão Grande, após o ato de vandalismo dos presos ficou bastante depredada. Além dos presos que foram transferidos no domingo para outra penitenciária, outros cinco foram levados para o PSVG com ferimentos graves causadas pelas balas de borrachas.

A unidade prisional de Capão Grande tem capacidade para 351 detentos. Pelo menos 100 reeducandos ainda permanecem na unidade de Capão Grande. A Secretaria de Justiça e Segurança Pública irá averiguar a causa principal do motim. (Colaborou Max Aguiar)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros