Artigos Sexta-feira, 29 de Julho de 2022, 09:16 - A | A

Sexta-feira, 29 de Julho de 2022, 09h:16 - A | A

NEILA BARRETO

O Futebol em Mato Grosso

NEILA BARRETO

ARQUIVO PESSOAL

NEILA BARRETO

 

Foi lançado ontem (28/07), às 19: horas, na Casa Barão de Melgaço, na Capital o livro “ O futebol em Mato Grosso – História, legado e projeções, do professor Allan Kardec Pinto Acosta Benitez, editado pela Entrelinhas Editora, membro e vice-presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso – IHGMT, oriundo da sua tese de doutoramento defendida pela Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, aprovada com louvor.

No livro, Allan Kardec traz a importância do futebol para a cultura mato-grossense e inúmeras comprovações do mesmo ser o esporte mais apaixonante para os brasileiros e para os mato-grossenses. Traz, também, uma profunda reflexão da grande contribuição do futebol para potencializar e fortalecer os esportes em todos os sentidos. Uma política pública que deve ser abraçada por todos. Incentivar os esportes para os nossos jovens.

Não se esqueceu da participação das mulheres nos primórdios da fundação dos clubes de futebol como Sarita Baracat de Arruda e Zulmira Canavarros e da queridíssima “Nhá Barbina” nos históricos envolvimentos com as torcidas em Cuiabá, Mato Grosso e no Brasil.

Kardec afirma que, “mesmo antes de surgir o futebol em Mato Grosso, era corrente uma prática de lazer, modalidade esportiva, nada segura para algumas pessoas, mas em sua grande maioria admirada e prestigiada, as Touradas. Uma prática oriunda da Espanha e incorporada na sociedade cuiabana apresentada na Praça do Alegre, antigo Campo d`Ourique, onde atualmente é a Praça Paschoal Moreira Cabral, atual sede da Câmara Municipal dos Vereadores de Cuiabá. Mas, deve de se salientar que não era para qualquer pessoa, pois era um esporte um tanto de risco como podemos observar em uma notícia de jornal da época:

Com grande animação, iniciaram-se no dia 12 do corrente as touradas na Praça do Ourique. A concorrência das famílias Cuyabanas àquele local, previamente preparado e ornamentado, foi enorme, apresentando os camarotes, botequins e ruas um aspecto garrido e encantador. Um triste acontecimento, porém, veio lançar um pouco de magoa do povo Cuyabano: Mirandeiro, o velho toureador que há muitos annos trabalha nas touradas de Cuyabá alegrando e divertindo os assistentes pela agilidade e presteza, foi victima de um desastre; ao fazer uma sorte foi tocado pelo boi que o atirou contra a cerca e lhe deu muitas marradas, de que resultou momentos depois a sua morte. Por esse motivo não houve touradas no dia 13 do corrente, continuando ellas nos dias 14 e 15, servindo de toureador o capinha Paulo, conforme afirma Ederson Brandão Duarte, em seu trabalho sobre o Clube Esportivo D. Bosco.

Segundo Lenine de Campos Póvoas (1983), o futebol em Mato Grosso teve seu início em 1905, com o padre Antônio Maria Malan, que após o retorno de uma das suas viagens à Cuiabá, trazendo consigo na bagagem duas bolas de couro onde os alunos do Colégio Salesiano São Gonçalo praticavam a atividade no campo que ali havia. O esporte que no Salesiano São Gonçalo veio a surgir se espalhou no gosto dos mato-grossenses que tinham, até então, como “Hobby” a tourada, deu lugar então ao futebol, satisfazendo enfim uma atividade com vários atores em um espetáculo em que a bola era a protagonista.

Em 1911 foi disputada a primeira partida de futebol em Cuiabá entre as equipes Internacional (Porto) x Cuiabá (centro). Iniciava-se desde aquele momento uma prática que viria a ser adotada como esporte das multidões.

Por outro lado, Rubens de Mendonça, citando Fernando Figueiredo, lembra que, em 1909, chegou a Cuiabá a primeira bola de futebol trazida por um padre salesiano vindo da Itália, mas somente em 1913 se realizou a primeira partida de futebol entre dois clubes – o Internacional e o Cuiabá – no Campo d`Ourique, a ela comparecendo o Presidente do Estado, Joaquim Augusto da Costa Marques (15/08/1911 a 15/08/1915). Jogavam pelo Cuiabá, Danglars Canavarros, Aristides Figueiredo, Mário Esteves, Alcindo de Siqueira, José de Souza Vieira , Fernando Corrêa , Francisco Mendes. Pelo Internacional, com domicílio no Bairro do Porto, tinha como presidente, o professor Gustavo Fernando Kuhlmann, sendo formado pelos jovens residentes na área portuária da capital, inclusive, jogavam o Kuhlmann e Aristides Prado, oficial do exército. Já o Cuiabá Futebol Clube, mais elitizado, era presidido por Leowegildo Martins de Melo, professor, contando em seu elenco por jovens da sociedade cuiabana na época.

Leia o livro! Apaixonados pelos esportes vão adorar. Boa leitura.

(*) NEILA BARRETO é Jornalista. Mestre em História. Membro da AML e atual presidente do IHGMT.

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do site de notícias www.hnt.com.br

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros