Artigos Quarta-feira, 23 de Novembro de 2011, 00:01 - A | A

Quarta-feira, 23 de Novembro de 2011, 00h:01 - A | A

Nova cara

Há quatro décadas a nação se acostumou a conviver com a imagem de um homem de feições nordestinas fortes, face marcada por uma vida de sacrifícios, barba espessa, meio carrancuda, emoldurada por olhar penetrante. Com o passar do tempo, entretanto, mudou.

PAULO LEITE

Divulgação

Há quatro décadas a nação se acostumou a conviver com a imagem de um homem de feições nordestinas fortes, face marcada por uma vida de sacrifícios, barba espessa, meio carrancuda, emoldurada por olhar penetrante. Com o passar do tempo, entretanto, o rosto foi mudando. Envelheceu e suavizou-se. Suas linhas ficaram mais tênues. Até mesmo se permitiu alguns sorrisos e gracejos.

De certa forma, desde o final da década de 1970, esta era a cara do Brasil, estampada em jornais e cartazes. Era a cara da reação popular. Era a cara da redemocratização do país. Mesmo austero, este rosto representou esperança e liberdade para uma geração de brasileiros.

Na semana passada, este semblante mudou radicalmente. E o Brasil reaprendeu a olhar para ele, não com espanto, mas com confiança e respeito. A barba e o cabelo em desalinho, tão característicos, se esvaíram. Não pela ação do tempo ou do desgaste pelas lutas aguerridas de ontem, mas pela força deletéria de uma doença cruel e traiçoeira: o câncer.

Seu rosto talvez tenha perdido a imponência e a marca registrada, a barba; mas por outro lado, ganhou a aura da tolerância, da sabedoria e da temperança. Adquiriu o tom lírico dos heróis. O sofrimento humanizou os traços do líder, ressaltando as feições humildes do trabalhador.

No lugar do semblante enérgico do sindicalista, do ar absoluto do presidente, brotou o sorriso de esperança do operário de outrora.

Mas, ficou a vivacidade da honra. Aquela mancha da resistência heróica contra a ditadura. A fé na política. Isto, por mais dolorosa, a doença não apaga. Porque são expressões da alma... São cicatrizes dos sonhos!

E os sonhos jamais perdem o brilho, jamais ficam doentes e nunca envelhecem...

Por isso, o novo rosto do ex-presidente Lula, mesmo sem a barba e o cabelo ainda inspira coragem, autodeterminação e soberania. Sua face não denota desespero ou apatia, ela exprime o caráter de um lutador. A fibra moral de um homem que luta pela própria vida.

Como eu, nem todos somos seus aliados políticos; porém, neste instante, todos nós somos adversários de sua doença.

AVISO

O empresário Mauro Mendes (PSB) já comunicou ao senador Blairo Maggi que pretende ser candidato a prefeito de Cuiabá em 2012. Blairo prefere Mauro como opção ao governo estadual em 2014.

MISTO

Antero Paes de Barros deu um tempo na vida partidária. Pouco conversa sobre os destinos do PSDB. Seu principal foco agora é o Mixto Esporte Clube. Ele trabalha para lançar a revista da agremiação futebolística ainda este ano.

FICHA

Como é que fica agora? Os deputados federais Eliene Lima e Pedro Henry foram condenados em 2º grau por delito eleitoral. Em tese, não podem mais compor o staff do governo estadual, barrados pela Lei da Ficha Limpa na administração pública mato-grossense.

DUDA

Júlio Neto, filho do deputado federal Júlio Campos e pré-candidato a prefeito de Várzea Grande pelo DEM, anda voando alto. Mantém conversas com o marqueteiro Duda Mendonça.

ENXUTA

Estimativas preliminares apontam para a demissão de cinco mil servidores estaduais nos próximos dois anos. Técnicos avaliam que o enxugamento é primordial para o equilíbrio das contas públicas.

(*) PAULO LEITE é jornalista e publicitário e escreve para o Diário de Cuiabá e HiperNoticias.

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do site de notícias www.hnt.com.br

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros