Artigos Quarta-feira, 14 de Setembro de 2011, 10:00 - A | A

Quarta-feira, 14 de Setembro de 2011, 10h:00 - A | A

Bodas de prata

Em meu consultório tenho um troféu que ganhei dessa turma, colocada ao lado do título que recebi da UFMT de Professor Emérito. Como é um documento histórico, publico, após 25 anos, o ofício que recebi da 1ª Turma de Medicina da UFMT

GABRIEL NOVIS NEVES

Steffano Scarabottolo

Foi em um dia de 1808 que o sonho começou em Vila Bela da Santíssima Trindade - Mato Grosso precisava de uma boa escola de Medicina.

Esperamos mais de um século e meio para ver esse sonho realizado – em 1970, a escola de Medicina foi criada pelo governo do Estado.

Os autores desse fato histórico, que revolucionou a Medicina cuiabana, ainda estão vivos, com saúde, e vivendo na mais perfeita harmonia.

Após a criação da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso, em 10-12-1970, a nossa escola foi federalizada, embora o seu funcionamento só fosse acontecer quase uma década depois.

Foi o curso de maior período de gestação da nossa UFMT. Tudo passou tão rápido! Hoje os seus fundadores pertencem à categoria dos idosos, na sua maioria, e os alunos/as da 1ª turma estão em plena maturidade.

Estou com o convite para o Encontro de 25 anos da 1ª Turma de Medicina - UFMT. Uma foto dos dezoito primeiros médicos nascidos no Campus do Coxipó, e aquela frase referindo-se aos pioneiros - “A primeira ninguém esquece!”

Em meu consultório tenho um troféu que ganhei dessa turma, colocada ao lado do título que recebi da UFMT de Professor Emérito. Como é um documento histórico, publico, após 25 anos, o ofício que recebi da 1ª Turma de Medicina da UFMT.

“Professor Gabriel, da concepção, que já se faz quase longe, ao delivramento da 1ª turma de médicos da UNISELVA, que se avizinham muitas críticas e desesperanças se lhes foram tributadas. Muita oposição manifesta ou velada, se lhe foi imposta. Todavia, o seu determinismo, o seu faro de futuro, a mão-férrea de administrador prevaleceram sobre aqueles e outros óbices. Temos consciência de que não foi fácil. Hoje o curso de Medicina desfruta da confiança de muitos e representa a esperança daqueles - que não podem se graduar fora deste Estado. A sua decisão, a par da sua pertinácia e capacidade de persuasão, viabilizaram o curso médico na Terra de Rondon. Somo-lhes gratos. Muito lhe devemos. Sabemos que não fez tudo sozinho. Mas, o mérito da implantação lhe pertence.

Aproxima-se o termo. O concepto é viável. Está maduro e insinuado, aguardando apenas a expulsão. Mas há que se denominá-lo. Assim, temos a honra de comunicá-lo de que o seu nome foi escolhido para denominar a 1ª Turma de Medicina da UFMT. Sem outro particular para o momento e convencidos de termos feito justiça, apresentamos-lhes os nossos protestos de apreço e consideração.”

Assina o documento histórico de 25 de junho de 1986, o então aluno representante dos formandos, Cyríaco Fortunato.

São passados 25 anos, e os formandos de Medicina tinham razão. O sonho foi concretizado e a nossa escola de Medicina em graduação é uma das melhores do Brasil. Os primeiros graduados, por mérito e muito trabalho, pertencem hoje à elite da Medicina brasileira.

Meus jovens colegas: esperamos 178 anos para formar os primeiros médicos, e 193 anos para a comemoração, tardia, das Bodas de Prata da 1ª turma de Medicina da UFMT.

“O tempo não para e, no entanto, ele nunca envelhece” - Caetano Veloso.

(*) GABRIEL NOVIS NEVES é médido, professor universitário fundador da UFMT e colaborador de HiperNotícias. E-mail: borbon@terra.com.br

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do site de notícias www.hnt.com.br

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

JANETE GARCIA DE OLIVEIRA VALDEZ 14/09/2011

Tenho lido os seus artigos e no de hoje, em especial, me emocionei demais. Anonimamente sou sua admiradora eis que foi o meu reitor na UFMT. Lá estive de 1982 a 1984 concluindo Letras - curso que comecei no antigo IESC de Cáceres, hoje Unemat. Ingressei na Faculdade de Direito em 1.986 e concluí em 1.990. Sua atuação junto àquela Instituição foi, além belíssima, competente. Muito mais que nas placas, seu nome ficou gravado em nossa alma. Um grande abraço e saiba que fico feliz por ter feito parte da minha história.

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros