Quarta-Feira, 31 de Maio de 2017, 15h:28

Tamanho do texto A - A+

Programa debate uso de álcool e outras drogas entre adolescentes

Por: REDAÇÃO

A população de adolescentes no país é de mais de 21 milhões e as pesquisas revelam que pelo menos metade deles já teve contato com álcool, ou seja, cerca de 10 milhões. Dentro deste universo, pelo menos 30% bebem com moderação, já os outros 20% bebem excessivamente, o que representa cerca de 2 milhões. Caso não haja uma intervenção, a probabilidade é que pelo menos 600 mil (30%) desencadeiem a dependência num prazo que varia entre seis a 10 anos. 

 

Agência Câmara Notícias

jovens e bebidas

 

Só que, além do risco da dependência, aumenta consideravelmente a possibilidade do uso de drogas ilegais. As pesquisas mostram que somente 3% das pessoas iniciam o uso de drogas ilegais sem antes terem iniciado com o álcool. 

 

Diante deste problema que atinge toda a sociedade, o Colégio Maxi resolveu ser protagonista e lançar o Programa Rumo Certo, que contará com o apoio do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral, que reúne profissionais das melhores universidades do país. 

 

O objetivo é contribuir para o fortalecimento de ações na perspectiva do desenvolvimento integral dos alunos e proporcionar à comunidade escolar a participação em programas e projetos que articulem saúde e educação, para o enfrentamento de riscos e vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças, adolescentes e jovens. 

 

O programa terá três frentes de atuação. A primeira está relacionada ao detalhamento da formação, que irá trabalhar a promoção de alimentação saudável e nutricional, com abordagem de temas como transtornos alimentares e a aceitação do corpo, uso de anabolizantes e inibidores de apetite, além de doenças relacionadas à alimentação. 

 

A segunda fase falará sobre o desenvolvimento corporal e sexualidade, as descobertas do corpo, hormônios e mudanças físicas, concepção, gravidez, DSTs e medidas preventivas. A sexualidade será abordada tanto no mundo real como no virtual, seus perigos e encantos, entre outros. 

 

As duas primeiras serão direcionadas aos alunos do 6º ano do Fundamental até o 2º ano do Ensino Médio. Já a última, que tratará da prevenção ao uso de álcool e outras drogas, tem como foco alunos 8º ano em diante. O objetivo nesta fase do programa é sensibilizar a comunidade escolar, envolvendo gestores, professores, pais e alunos, para uma das maiores vulnerabilidades dos adolescentes: o consumo de bebidas alcoólicas e outras drogas. A ideia é organizar e dar formação para uma equipe de pessoas da comunidade escolar para que elas saibam como identificar os padrões de consumo de bebidas alcoólicas entre os alunos.

 

O projeto será acompanhado pelo psicólogo e pós-doutor pela Universidade de Washington, Raul Martins, e pela psicóloga e doutora na área, Luciana Aparecida Nogueira da Cruz. Eles são autores do livro “Meus alunos estão bebendo, e agora?”, que serve como um guia teórico-prático para educadores sobre a intervenção breve para reduzir o consumo de álcool entre estudantes. 

 

Raul explica que o Programa Rumo Certo tem objetivos de curto, médio e longo prazo. A princípio é criado um clima na comunidade escolar para que todas as pessoas entendam a gravidade do problema, mas, ao mesmo tempo, que há soluções científicas para ele. “É importante neste momento mostrar que ninguém será estigmatizado por utilizar bebidas alcoólicas, ninguém será exposto de forma negativa”, ressalta. 

 

Já a médio prazo, cria-se uma equipe para identificar os tipos de usuários de álcool entre os estudantes e aplicar uma intervenção breve nos que estão no padrão de beber excessivo, para que reduzam ou parem de beber. Já a longo prazo, a ideia é criar a cultura na comunidade escolar que é possível divertir-se com pouco ou mesmo nenhum uso de bebidas alcoólicas. 

 

É bom frisar que a participação dos pais ou responsáveis é essencial para que se possa obter resultados positivos. A Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar (PeNSE), realizada com alunos do 9º ano, revela que o monitoramento feito pelos responsáveis dos adolescentes tem efeito protetor quanto aos hábitos de fumar, beber, usar drogas ou iniciação sexual precoce. A supervisão familiar é importante na prevenção. 

 

A mesma pesquisa mostra que 22% dos alunos do 9º ano já experimentaram pelo menos um episódio de embriaguez e pelo menos 9% deles já experimentaram drogas ilícitas. Além disso, 18,4% dos alunos contam ter experimentado o cigarro, que também é a porta de entrada para outras drogas. 

 

Considerando os alunos que disseram ter usado drogas ilícitas, 5,5% se referiram o uso de crack, o que corresponde a 0,5% da população estimada de alunos frequentando o 9º ano do Ensino Fundamental no país.

 

O programa será iniciado entre os dias 31 de maio e 1º de junho. Primeiramente serão feitas palestras de sensibilização e informação para alunos, pais e professores. 

 

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei

Leia mais sobre este assunto