Segunda-feira, 24 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,42
euro R$ 5,81
libra R$ 5,81

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,42
euro R$ 5,81
libra R$ 5,81

Política Sexta-feira, 28 de Setembro de 2018, 17:51 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Sexta-feira, 28 de Setembro de 2018, 17h:51 - A | A

ELEIÇÕES 2018

Wellington critica aliados de Mauro Mendes por vetar visita de Marun

LEONARDO HEITOR

O senador e candidato ao Governo do Estado, Wellington Fagundes (PR), declarou em entrevista a jornalistas após o debate realizado na TV Vila Real, em Cuiabá, na manhã desta sexta-feira (28), que articulações de adversários dele na campanha eleitoral estariam criando dificuldades na liberação dos R$ 100 milhões disponibilizados pelo Governo Federal para a obra do novo Pronto Socorro Municipal de Cuiabá.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

Wellington fagundes

 Wellington criticou postura de oponentes

Segundo Wellington Fagundes, o episódio em que o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun (MDB), veio a Cuiabá para vistoriar a obra e foi desestimulado de fazê-lo é um exemplo do esforço de seus adversários no pleito para não divulgar o trabalho do parlamentar. O senador não nominou, mas momentos antes havia criticado, nos bastidores, o deputado federal Fábio Garcia (DEM), apontado como mentor da articulação para vetar a vistoria, para não dar 'palanque' a Wellington.

 

"Tem coisas que a gente não pode expor, porque acaba prejudicando inclusive a própria população. Vocês sabem que o ministro Marun esteve aqui para fazer a vistoria no novo Hospital e Pronto Socorro de Cuiabá e foi impedido de ir lá. Qual o prejuízo que a população pode ter. O recurso de R$ 100 milhões para a obra, que foi uma ação minha e do Blairo, já deveria ter sido liberado", afirmou Wellington.

 

O senador criticou a postura de seus adversários, mas afirmou que continuará trabalhando para que os recursos sejam repassados para a obra o mais rápido possível. Ele demonstrou indignação com a situação e disse que a Capital não pode ser prejudicada por conta disso.  

 

"Quem se preocupa apenas com a eleição e não com o cidadão que está lá na ponta, sofrendo, é quem terá que dar explicação, por estar criando dificuldades. O ministro Marun acabou não indo porque foi desestimulado a ir. Ele veio para Cuiabá exclusivamente para isso. Esta era a programação. Mas vamos continuar trabalhando. Fui essa semana ao Ministério da Saúde pressionar, pois Cuiabá não pode ser prejudicada por conta de uma campanha eleitoral. O tempo irá dizer. É o senhor de tudo", explicou.

 

Wellington Fagundes aproveitou para criticar Mauro Mendes (DEM), aliado de Fábio Garcia, que em sua campanha para prefeito de Cuiabá, em 2012, prometeu entregar a obra ainda em seus dois primeiros anos de mandato. Ele também criticou o deputado federal, por ter afirmado em uma propaganda eleitoral, que os recursos teriam sido um trabalho de toda a bancada, que em 2017 conquistou R$ 80 milhões para a obra, recursos estes que serão somados aos R$ 100 milhões anunciados recentemente. 

 

"É bom dizer que o candidato Mauro anunciou que entregaria a obra em seu mandato e não inaugurou. Terminou e não concluiu. Nós estamos fazendo nossos esforços. A bancada federal trabalhou com recursos do orçamento no ano passado. Não quero ficar acusando ninguém, mas você não pode ficar se apoderando do trabalho dos outros. Sempre respeitei toda bancada, mas neste caso específico, é um trabalho do Blairo e do Wellington", completou.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros