Sexta-feira, 17 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,13
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,13
euro R$ 5,58
libra R$ 5,58

Política Quinta-feira, 12 de Maio de 2016, 11:51 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 12 de Maio de 2016, 11h:51 - A | A

R$ 1,2 MILHÃO

Supremo Tribunal Federal determina rastreamento de cheques liberados por Nilson Leitão

REDAÇÃO

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, autorizou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a rastrear cheques emitidos pela prefeitura do município de Sinop em 2001, quando o deputado federal Nilson Leitão (PSDB) era prefeito da cidade.

 

Deputado Nilson Leitão

 

A autorização atende a um inquérito do Minstério Público Federal (MPF), que investiga suposto desvio de dinheiro público na gestão de Leitão. Somados, os cheques chegam ao valor de R$ 1,2 milhão.

 

As diligências ao Banco do Brasil, à Caixa Econômica e à Prefeitura de Sinop devem ser realizadas dentro de 90 dias.

 

Conforme decisão publicada nesta quinta-feira (12), os cheques teriam sido emitidos para pagar empresas contratadas pela prefeitura para fornecer combustível, lubrificantes e realizar manutenção na frota de veículos e máquinas do Executivo municipal.

 

Leitão é suspeito de ter desviado os recurso da licitação que contratou a empresa Comércio e Indústria Schenatto Ltda., responsável por fornecer os produtos.

 

De acordo com o inquérito e com as informações obtidas a partir da quebra de sigilo, a prefeitura requisitou mais de 1 milhão de litros de óleo diesel da empresa, mas não utilizou ou recebeu o produto.

 

O MPF suspeita que o valor pago, R$ 1,2 milhão, retornou ao deputado ou a outras pessoas indicadas pelo então prefeito.

 

A quebra de sigilo revelou que 95,8% deste valor foi pago à Schenatto com cheques da prefeitura, mas apenas um deles, no valor de R$ 1,6 mil, circulou na conta da emrpesa. O restante ainda é alvo do rastreamento autorizado por Toffoli.

 

“Ressalta-se que a Comércio e Indústria Shenatto Ltda e o então prefeito Nilson Aparecido Leitão doaram, em 2002, respectivamente. RS 50.000,00 e RS 10.000,00 para a campanha de deputado estadual do Secretário de Sinop Dilceu Antônio Dal Bosco (PSDB)”, destaca trecho da decisão.

 

Além disso, a Procuradoria destaca ainda que tanto a Schenatto e a PHJ Combustível e Lubrificantes Ltda., também responsável pelo fornecimento de combustível, foram doadoras de, respectivamente, RS 100.000,00 e RS 40.000,00, para o “Comitê Financeiro Municipal Único de Sinop/MT (PSDB)”.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros