Política Segunda-feira, 25 de Julho de 2011, 11:16 - A | A

Segunda-feira, 25 de Julho de 2011, 11h:16 - A | A

VIOLÊNCIA

Silval Barbosa descarta problemas com a Segurança Pública

O governador reconhece violência em Mato Grosso e prometeu investimentos no setor

HÉRICA TEIXEIRA
herica@hipernoticias.com.br

Mayke Toscano/Hipernotícias
Apesar do alto ínidce de vilência, governador não acredita em crise na Segurança Pública

O governador Silval Barbosa (PMDB) reconheceu que Mato Grosso vive dias violentos, mas descartou problemas com a gestão na Segurança Pública. Para Silval, a violência presenciada nos últimos dias são fatos que fogem do alcance da secretaria.

Na semana passada dois casos graves de violência atingiram a Capital. O primeiro aconteceu na quinta-feira (21), quando dois jovens entraram na Escola a Estadual Cesário Neto, região central de Cuiabá e executaram um estudante, que estava na frente do colégio e estudava na 8ª série no programa de Educação para Jovens e Adultos.

Os dois jovens, ambos de 18 anos foram encaminhados para o Departamento de Homicidio e Proteção à Pessoa (DHPP).

Na madrugada de sexta-feira (22), o jornalista Auro Ida, de 53 anos, foi assassinado quando estava no bairro Jardim Fortaleza. Auro estava com a namorada Bianca Naiara, de 19 anos, quando foi abordado e executado com tiros, um na região da boca e os demais nas costas. Até o momento ninguém foi preso.

Outro caso que chocou o Estado foi a morte do prefeito de Novo Santo Antonio (1.063 km de Cuiabá), Valdemir Antonio da Silva, apelidado de “Quatro Olhos” (PMDB). A execução aconteceu no início da noite de sábado (23), por volta de 21h, diante dos filhos.

O prefeito foi executado com dois tiros à queima-roupa em uma emboscada. Um atingiu o coração e saiu nas costas. O crime, que deve ter motivação política. O pistoleiro ainda não foi preso.

O governador disse que todos os casos são lamentáveis e que violência não é reflexo de problemas internos da Segurança Pública, mas defendeu investimentos para o setor.

“O sistema de Inteligência está acompanhado muito de perto, então não tem nenhum fator de problema interno na Gestão de Segurança Pública. Infelizmente a violência não está só aqui no Estado, mas em todo o Brasil. Estamos planejando a Segurança Pública e fazendo investimentos”, pontuou Silval.

Silval disse ainda que caso da morte do jornalista e do prefeito são muito “intrigantes”, mas que as investigações irão chegar aos culpados e os fatores que culminaram nas mortes.

“A equipe de investigação vai apurar os dois casos das mortes e os responsáveis serão punidos pelos crimes bárbaros que houveram no nosso Estado”, enfatizou.

INVESTIMENTOS

O governador Silval Barbosa disse que o setor de Segurança Pública do Estado vai receber investimentos para melhorar atuação. Silval apontou que 1.270 militares entrarão em serviço em setembro e logo após, o governo vai abrir concurso para aumentar efetivo, tanto da PM, quanto da Polícia Civil.

Quando perguntado se a greve dos investigadores e escrivães irão prejudicar o desfecho de investigações, o governador Silval Barbosa não acreditar que a greve na Polícia Judiciária Civil vai continuar, já que foi decretada a ilegalidade da greve.

Silval apontou ainda que a greve continua porque os servidores não aceitam proposta que Estado oferece. “Oferecemos 33% de aumento e eles (servidores) não aceitaram. Infelizmente é o que o Estado pode oferecer”, concluiu Silval.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros