Sexta-Feira, 18 de Setembro de 2020, 16h:09

Tamanho do texto A - A+

Pinheiro rebate críticas de Mendes: “Desequilíbrio e falta de controle emocional”

Por: WELLYNGTON SOUZA

Após ataques do governador Mauro Mendes (DEM), o candidato à reeleição por Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), rebateu nesta sexta-feira (18), as críticas e apontou que o chefe do Executivo estadual "demonstra uma postura de total insanidade, desequilíbrio e falta de controle emocional”.

Reprodução

dad42f0df06b573240fe1c81f96ab72e.jpg

 

Durante cumprimento de agenda com o presidente da República Jair Bolsonaro, em Sinop, à imprensa Mendes declarou apoio à candidatura do ex-prefeito Roberto França pelo comando da Capital, afirmando que Cuiabá teria que ser resgatada do "antro de corrupção". O democrata ainda citou diversas investigações de corrupção que envolvem o emedebista diante da delação premiada do ex-governador Silval Barbosa.

LEIA MAIS: Mendes diz que apoiará França para resgatar Cuiabá de "antro de corrupção"

De acordo com Pinheiro, diante dos ataques, Mendes deixa evidente seu papel de cabo eleitoral. Ele ressalta ainda que, com o lançamento de candidatura à reeleição, os ataques serão ainda mais frequentes.

"Mais uma vez o chefe do Executivo estadual demonstra uma postura de total insanidade, desequilíbrio e falta de controle emocional. Ao atacar insistentemente a Prefeitura de Cuiabá e o seu gestor, o governador deixa evidente seu papel de cabo eleitoral, deixando de lado a função para a qual foi eleito, que é o de governar o Estado", ressaltou. 

Segundo Pinheiro, Mendes o atacou nesta sexta-feira, para desviar o foco das vaias recebidas no evento em Sinop, com a presença do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

“As ensurdecedoras vaias recebidas hoje devem ter doído muito no governador. Nem assim, Mendes é capaz de descer do pedestal e fazer uma autoavaliação. Pelo contrário, adota sempre o mesmo e velho modus operandi, que busca atacar alguém para desviar a atenção dos seus problemas e da rejeição recebida pela população”.

LEIA MAIS: Sob vaias, Mendes diz ao lado de Bolsonaro: "Futuramente irão reconhecer nosso trabalho"

Veja nota na íntegra:

"Sobre a declaração do governador Mauro Mendes, concedida à imprensa nesta sexta-feira (18), o prefeito de Cuiabá afirma que: 

- Mais uma vez o chefe do Executivo estadual demonstra uma postura de total insanidade, desequilíbrio e falta de controle emocional. 

- Ao atacar insistentemente a Prefeitura de Cuiabá e o seu gestor, o governador deixa evidente seu papel de cabo eleitoral, deixando de lado a função para a qual foi eleito, que é o de governar o Estado. 

- Temos a ciência do baixo nível que o governador é capaz de chegar e de que isso irá piorar, principalmente a partir do momento que aceitamos a convocação e colocamos nosso nome à disposição para disputar à reeleição.

- Todavia, garantimos que o mesmo será levado à Justiça, pois cabe a quem acusa o ônus da prova e, de forma alguma, tais falas levianas serão lançadas ao vento sem responsabilização. 

- O governador criou o péssimo hábito de atacar a gestão de Cuiabá para desviar o foco da má gestão que vem fazendo, resultando inclusive em uma cena vexatória diante do Presidente da República, onde foi estrondosamente vaiado pela população de Sinop. 

- Sem saber como contornar tal situação, mais uma vez virou sua mira para o Executivo municipal da capital, que é onde está o seu interesse político. 

- Mauro, no alto da sua maldade, arrogância e soberba, se coloca como o paladino da moral e ética. Porém, faz isso sem nunca mencionar os processos que pesam contra ele. 

- Igualmente, com peculiar empáfia, tenta esconder suas conhecidas atividades empresariais obscuras, como, por exemplo, a mais recente, sua ligação com a empresa AGRENCO que, conforme noticiado na imprensa, o chefe do Poder Executivo estadual teria sido supostamente beneficiado com um “generoso mimo” em forma de participação societária.

- As ensurdecedoras vaias recebidas hoje devem ter doído muito no governador. No entanto, nem assim Mauro Mendes é capaz de descer do pedestal e fazer uma autoavaliação. Pelo contrário, adota sempre o mesmo e velho modus operandi, que busca atacar alguém para desviar a atenção dos seus problemas e da rejeição recebida pela população".

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei - 1