Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 15h:00

Tamanho do texto A - A+

"Estamos fazendo tudo para minimizar os efeitos da crise", diz Mendes

Por: WELLYNGTON SOUZA

O governador Mauro Mendes (DEM) não escondeu os efeitos causados na economia com a pandemia do Covid-19, o coronavírus, em Mato Grosso. O democrata vem defendendo um ‘meio termo’ para abertura do comércio e disse que alguns municípios, mesmo sem nenhum caso suspeito da doença, já tiveram decretos baixados estabelecendo o fechamento de diversos setores.

Divulgação

Mauro Mendes

 

“Nós estamos tentando fazer de tudo em Mato Grosso para minimizar os efeitos dessa crise e por isso defendemos uma paralisação mais gradativa para não criar tantos transtornos. Isso vai arruinar vidas de centenas de mato-grossenses. Com o primeiro caso confirmado no Estado, teve município que mandou parar tudo”, disse nesta segunda-feira (30), em entrevista à TV Cidade Verde.

Mendes declarou que existe hoje uma paralisia nas economias mundiais e que isso vai trazer graves consequências nunca vista antes na história. “As receitas públicas vão despencar, muitas empresas terão dificuldades em sobreviver, nós teremos grandes desafios no setor público porque vai cair muito arrecadação, pessoas vão perder emprego. Temos lamentavelmente um cenário muito difícil pela frente”, apontou.

Planejamento para 2020

O democrata declarou que ano passado “pegou o Estado quebrado”, no entanto conseguiu fechar o ano no azul. “Trabalhamos muito o ano inteiro para concertar Mato Grosso e graças a Deus conseguimos. Chegamos no final do ano com salário em dia, pagando fornecedores e reiniciamos muitas obras no estado”, afirmou.

Antes da crise causada pelo Covid-19, o gestor afirmou que havia uma planejamento de ações que agora deverá ser reorganizado. “Tínhamos um bom planejamento para 2020, tem muitas obras para ser lançada no interior, nas áreas de Saúde, Segurança, muita coisa boa estava prevista e programada para este ano e agora com tamanho dessa crise teremos que reorganizar e ver a onde exatamente irá nos afetar, mas sabemos que vai afetar muito”.

Medidas de prevenção

Mendes comentou que não defende uma volta da atividade comercial integral, mas que algumas pessoas precisam cumprir com as medidas de prevenção da doença, entre elas fazer uso regular do álcool em gel e lavar as mãos regularmente, como também evitar o contato das mãos no rosto.

“Eu não defendo isso, que tem que voltar tudo ao normal, as pessoas têm que ficar em casa, isso quem pode. As pessoas do grupo de risco principalmente. Se você trabalha e precisa sair, lave as mãos várias vezes ao dia. Se a grande maioria tomar essas medidas de segurança vai diminuir o ritmo de transmissão do vírus e com isso o sistema terá condição de atender quem está infectado”.

Leia mais

Presidente da AMM diz que prefeitos cumpriram regras ao editar decretos

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei