Política Sábado, 15 de Outubro de 2011, 09:11 - A | A

Sábado, 15 de Outubro de 2011, 09h:11 - A | A

CORINGA

Carlos Brito é opção do PSD para prefeito e até vereador, revela Riva

Ex-diretor da extinta Agecopa é observado pelo secretário-geral do PSD, deputado estadual José Riva, que elogia seu "desprendimento" político e disposição de ajudar a construir o partido

PAULO COELHO

Mayke Toscano/Hipernotícias

Ex-diretor da extinta Agecopa, Carlos Brito, se filiou ao PSD do presidente da Assembleia, José Riva

 

O ex-deputado e ex-diretor de Infraestrutura da antiga Agecopa, Carlos Brito, está disposto a se lançar “até a vereador, se preciso for”, conforme adiantou o secretário-geral do PSD, deputado estadual e presidente da Assembleia, José Riva. Brito se filiou recentemente ao PSD, partido recém-criado.

“Gostei muito do desprendimento do Brito que veio de uma forma muito humilde para o PSD e já á muito tempo nós temos uma relação boa, desde seu retorno à Assembleia e acho que ele vai ajudar muita na construção do partido, devido sua vasta experiência”, apontou Riva.

O nome de Brito, conforme admitiu o próprio Riva pode ser considerado uma opção do novo partido para a disputa pela Prefeitura de Cuiabá, entretanto ponderou ser ainda muito cedo para sustentar uma pré-candidatura, num momento em que o PSD terá pela frente o papel de se estabelecer no cenário político-eleitoral do Estado, seja por meio de candidaturas próprias ou por alianças no pleito de 2012.

“Vamos primeiro desencadear um debate interno no partido e exaurir todas as possibilidades de candidatura própria em Cuiabá”, emendou Riva.

Questionado sobre o apoio do PSD à candidatura do empresário do ramo de comunicações João Dorleo Leal (PMDB), o parlamentar também analisou que, “hoje é complicado analisar apoio a candidato A ou candidato B”, mas que só depois desse debate dentro da sigla é que se definirá pela candidatura própria ou não.

O PSD em Mato Grosso, especialmente em Cuiabá, está comedido em relação ao lançamento de nome próprio à prefeitura, devido a alguns fatores: a nova sigla não terá tempo de propaganda em rádio e TV durante a campanha eleitoral; e uma pré-disposição de José Riva de apoiar a candidatura de Dorileo, dono do Grupo Gazeta de Comunicação.

Riva e o empresário teriam se reunido em definitivo um dia antes da criação do PSD no gabinete da presidência, na Assembleia e selado o acordo. José Riva não confirmou o apoio, mas ratificou a grande amizade e admiração ao “empresário pujante”

E foi justamente por “temer” a amizade do presidente da Assembleia com Dorileo que o ex-prefeito Roberto França, esquivou-se de filiar ao PSD, para onde rumaria com o intuito de ser candidato a prefeito no ano que veio. E como não recebeu tal garantia, França assinou ficha no DEM, dos irmãos Jayme e Júlio Campos, senador e deputado federal, respectivamente.

Ainda quanto a Carlos Brito, um dos diretores da extinta Agecopa, ele foi, ao lado de França, quem mais se prejudicou com as mudanças promovidas pelo governador Silval Barbosa (PMDB) na transformação da autarquia em Secretaria da Copa.

Brito afrontou o então presidente da Agecopa, Eder Moraes, no campo das ideias e por isso acabou sendo preterido de um acordo cujo prazo de vencimento era 2014.
Indicado pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso para a Agecopa, Brito e França, então deputados estaduais, deixaram de se candidatar à reeleição para responderem por diretorias na Agecopa.

A relação com Eder Moraes, que assumiu a presidência da autarquia só em 2011, tornou-se insustentável depois de uma audiência pública promovida pela Assembleia Legislativa com o objetivo de discutir a viabilidade do VLT (Veículo Leve Sobre Trilhos) para Cuiabá e Várzea Grande. Na ocasião, Brito questionou, entre outros fatores, a existência de projetos para o VLT, o que deixou Eder Moraes em estado de fúria, ao ponto de pedir ao governador exoneração do diretor de Infraestrutura.
Mas para Riva, na ocasião, houve duas versões e Silval Barbosa não poderia demitir Brito, como queria Eder, sem ao menos ouvi-lo.

“Eu sempre defendi que o governador não execrasse o Brito sem ouvir o que ele tinha a dizer, sempre achei também que essa situação da crise na Agecopa foi muito mal conduzida”, reforçou Riva, alegando não ter relação alguma a filiação de Brito ao PSD com a crise na extinta autarquia.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

ze cuiabano 15/10/2011

Kleber ja acertaram o Carlos Brito vai ser vice do Chico Galindo e pensa bem o PTB faz 04 vereadores, o PSD mais 04, os nanicos do Galindo 02 e os nanicos do Riva mais 02...ahh e ainda tem o PR do Blairo e o PDT do Taques que vão ficar com Galindo.... então Galindo estará no segundo turno... em 2014 será deputado federal e Brito como autentico cuiabano prefeito da capital...o que o Gordo França estragou em 2004 se tornara realidade em 2012.

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros