Quarta-feira, 24 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

Política Domingo, 02 de Outubro de 2022, 14:23 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Domingo, 02 de Outubro de 2022, 14h:23 - A | A

ESPERANÇA

Aos 88 anos, aposentado vota na UFMT cobrando justiça social e futuro melhor aos jovens

Alberto Fumes compareceu para votar mesmo sem obrigação por lei

RAFAEL COSTA
Da Redação

Aos 88 anos, o aposentado Alberto Fumes compareceu, na manhã deste domingo (2), para registrar seu voto nas eleições de 2022.

Acompanhado de familiares, o idoso aceitou falar com a reportagem do HNT logo após sair do prédio do Instituto de Ciências Humanas e Sociais, na UFMT. "Em toda eleição eu faço questão de votar, seja bom ou mau o resultado do futuro parlamentar ou gestor. É um momento importante do país e não posso me abster", disse.

Em seguida, o aposentado destacou a necessidade de que toda a população, principalmente jovens, compareçam às urnas para votar. "Todas as pessoas devem votar após ouvir seus candidatos. É um dever cívico. Os mais jovens têm que se mobilizar para participar do processo eleitoral e depois cobrar resultados dos políticos eleitos", destacou.

No Brasil, o voto é facultativo para analfabetos, maiores de 70 anos e pessoas com idade entre 16 e 18 anos. Essas regras estão previstas no artigo 14, §1º e incisos, da Constituição Federal.

Mesmo com a prerrogativa de não comparecer às urnas, o aposentado Alberto Fumes afirmou que é uma necessidade de sua parte.

"Eu vim voluntariamente porque é muito importante exercer esse direito. Eu espero que as coisas melhorem principalmente para os mais jovens. O Brasil precisa de mais justiça social e combate à corrupção", concluiu.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros