Segunda-Feira, 04 de Novembro de 2019, 21h:50

Tamanho do texto A - A+

Adevair nega acusações e diz que tudo é um jogo político liderado por Abílio

Por: FERNANDA ESCOUTO

O vereador por Cuiabá, Adevair Cabral (PSDB), afirmou nesta segunda-feira (4) que está sendo vítima de uma grande armação liderada pelo seu colega de parlamento, Abílio Júnior (PSC). Nos últimos dias o tucano teve o nome envolvido em três denúncias de crimes sexuais, as quais ele nega e garante se tratar de perseguição política.

Alan Cosme/HiperNoticias

adevair cabral

 Adevair enfrenta séries de ddenúncias de cunho sexual

“Em tudo o Abílio está no meio, ele está influenciando, correndo atrás, fazendo tudo que é possível para poder me sujar perante a população. Isso é represália, porque ele está com medo de ser cassado e por isso está querendo me incriminar. Ele quer tirar o foco dele”, disse Adevair em entrevista exclusiva ao HNT/Hipernotícias.

“Ele quer ferrar todo mundo. Semana passada ele disse que ia pedir cinco cassações. A minha ia ser a terceira, mas agora passou para a primeira”, ironizou.

O tucano ressalta que o fato de ter sido cogitado para ser candidato a vice-prefeito, numa possível disputa à reeleição de Emanuel Pinheiro (MDB) nas eleições do ano que vem, também contribuiu para que seu nome fosse envolvido em “denúncias caluniosas”.

“Eu nunca pedi para ser vice. Alguns partidos me pediram para eu me filiar, mas eu nunca quis. Não é o meu desejo. Mas esse fato contribuiu e muito. Estão tentando me queimar com essas denúncias caluniosas”, reafirmou.

Denúncias

Na última quinta-feira (31), Adevair registrou um boletim de ocorrência contra Abílio, denunciando-o por difamação e calúnia.

Conforme o documento, Abílio estaria mostrando uma foto de Adevair "deitado em uma cama" para outros membros da Câmara Municipal, gerando uma exposição e constrangimento. Entretanto, a foto mencionada no BO estaria relacionada a uma suposta denúncia de assédio sexual.

De acordo com Abílio, uma servidora da pasta municipal de Saúde teria o procurado, há um ano, para dizer que estaria sendo assediada por Adevair, crime negado pelo parlamentar.

“Nunca houve assédio, tanto que não tem nenhuma representação contra mim. Eu não cometi crime algum e vou provar” disse Adevair, destacando que já encaminhou o seu celular para uma perícia, que foi contratada de forma particular.

A segunda acusação seria em relação a crimes de favorecimento à prostituição, exploração sexual de vulnerável (menor de 14 anos) e crimes contra criança e adolescente. Em 2017, o Ministério Público Estadual (MPMT) recebeu de forma anônima a denúncia.

Além do vereador, foram denunciados Jaburitã Francisco Nunes e o Clube Aspe [Associação dos Servidores da Prefeitura e da Câmara Municipal de Cuiabá], onde os supostos crimes teriam acontecido.

Segundo Adevair, o seu nome não está envolvido nessa denúncia, tanto que durante as diligências ele nunca foi ouvido pela polícia. Ele ressalta que tentaram ligar a imagem dele ao clube, pois ele já teria sido presidente da associação, entretanto desde 2016 estaria afastado do cargo.

Assessoria

Adevair Cabral

Adevair é vereador em Cuiabá pelo PSDB

“Eu nunca soube dessa denúncia. Soube pela imprensa, mas nunca fui ouvido. Em nenhum depoimento meu nome é citado. Estão querendo me prejudicar e isso é de uma covardia”, disse.

“O clube estava arrendado, eu não era mais presidente, nunca foi ouvido. Como eu posso estar envolvido? Não tem nada com isso. Alguém fez uma denúncia de forma irresponsável, jogando meu nome na lama”, completou.

Nesta segunda-feira (04), o presidente do bairro Jardim Paraná, localizado em Cuiabá, Nilton Gomes da Silva, afirmou ao HNT/HiperNotícias que a sua esposa também foi assediada sexualmente pelo vereador. O caso teria ocorrido no início de 2018 no Parque Tia Nair, localizado no bairro Jardim Itália, na Capital.

“Outra denúncia caluniosa, que não tem sentido. Estão querendo me prejudicar. Faz parte de um jogo político", concluiu o vereador.

Adevair apresentou ao site fotos do contrato de locação do Clube da Aspe e do pedido de afastamento do cargo de presidente da associação. Confira:

Credito:
Credito:
Credito:
Credito:
Credito:
Credito:
Credito:
Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei - 1







Mais Comentadas