Terça-Feira, 12 de Novembro de 2019, 08h:43

Tamanho do texto A - A+

Corpo de homem é encontrado em cova no quintal de residência

Por: LUIS VINICIUS

O corpo de Dirceu de Lima Raimundo, 58 anos, foi encontrado em uma cova rasa no quintal de sua residência, no início da noite de segunda-feira (11), no bairro Marajoara, na cidade de Várzea Grande. Ele estava desaparecido há seis dias. A principal suspeita de ter cometido o crime é a companheira do homem. O nome da mulher não foi divulgado.

Giovani Júnior

assassinato pedra 90

 

O cadáver, segundo informações da Polícia Militar, foi encontrado por um cachorro de uma vizinha de Dirceu. A proprietária do animal informou aos policiais que o cão havia escapado de sua residência e entrado na casa da vítima.

Em seguida, o cachorro começou a escavar o quintal da residência e logo depois, a dona do animal sentiu um mal cheiro. Rapidamente, a mulher chamou a polícia. 

Quando os PMs chegaram ao local, perceberam que poderia se tratar de uma cova e chamaram uma equipe do Corpo de Bombeiros. Os militares escavaram o quintal e localizaram o pé de Dirceu. Logo após, os trabalhos continuaram e a equipe do Corpo de Bombeiros localizou o cadáver.

Ao serem questionados, vizinhos relataram que a vítima tinha um caso com uma mulher, usuária de drogas que vinha o ameaçando de morte.

Os moradores disseram também que chegaram a perguntar para a suspeita se ela sabia do paradeiro do companheiro. A mulher respondia que Dirceu havia viajado com o seu patrão e que teria deixado sua motocicleta aos seus cuidados.

As testemunhas disseram também que na segunda-feira, a mulher teria ido à casa do suspeito e ao ver a aglomeração de testemunhas, teria fugido do local.

Diante das informações, os policiais saíram em rondas para tentar localizá-la, mas até a publicação da matéria, a suspeita não havia sido presa.

O cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) para ser realizado exames de necropsia. O laudo apontará qual a causa da morte de Dirceu.

O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei