Página Inicial Segunda-feira, 02 de Maio de 2011, 15:45 - A | A

Segunda-feira, 02 de Maio de 2011, 15h:45 - A | A

Mundo ficou melhor com morte de Bin Laden, diz Obama

Exame de DNA realizado pelas autoridades americanas confirmaram a morte do líder da rede terrorista Al Qaeda

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta segunda-feira que o mundo virou um lugar melhor depois da morte do líder da Al Qaeda Osama bin Laden.

Obama, que falou durante uma cerimônia na Casa Branca, disse ainda que esse é um "bom dia" para o país e que os EUA "honraram o compromisso de ver a justiça feita".

Em pronunciamento feito na TV na noite deste domingo (1º), o Obama confirmou a morte do líder da rede terrorista Al Qaeda, e disse que o corpo dele está com os Estados Unidos. "A justiça foi feita", afirmou ele.

"Nesta noite tenho condições de dizer aos americanos e ao mundo que os Estados Unidos conduziram uma operação que matou Osama bin Laden, o líder da Al Qaeda e terrorista responsável pelo assassinato de milhares de homens, mulheres e crianças inocentes."

Obama disse que a operação só foi bem sucedida devido a ajuda do governo do Paquistão, que facilitou que as equipes encontrassem o esconderijo do terrorista. "Esse é um dia histórico para as duas nações", disse Obama.

Enquanto ele falava, centenas de pessoas estavam concentradas em frente à Casa Branca, em Washington, para comemorar com gritos de alegria e mensagens patrióticas a morte. Seguravam bandeiras, cantavam o hino nacional e bradavam "USA".

Segundo o presidente americano, a captura foi um dos maiores trunfos de seu governo. Ele revelou ter determinado ao diretor da CIA (agência de inteligência americana), Leon Panetta, que tornasse a captura de Bin Laden uma prioridade.

Após relembrar a dor dos ataques de 11 de Setembro de 2001, Obama continuou: "Nós podemos dizer para todas as famílias que perderam entes queridos que a justiça foi feita".

"Nós não vamos tolerar ameaças a nossa segurança nacional ou aos nossos aliados. Não há dúvidas que a Al Qaeda continuará a atacar", disse Obama, ressaltando, como o fez George W. Bush, que a "Guerra ao Terror não é contra o Islã". "A Al Qaeda é um destruidor em massa de muçulmanos", afirmou.

OPERAÇÃO

Bin Laden foi morto com um tiro de um dos cerca de 20 militares da Marinha dos Estados Unidos que invadiram, de helicóptero, sua mansão de alta segurança em Abbottabad, a cerca de 50 km da capital paquistanesa.

A operação durou 40 minutos e deixou ainda um dos filhos de Bin Laden, uma mulher e dois homens mortos. Nenhum militar americano ficou ferido.

Os detalhes da ação ainda não foram confirmados pelo governo dos EUA, mas autoridades americanas e testemunhas paquistanesas revelaram algumas informações à imprensa.

Segundo um vizinho de Bin Laden, que acompanhou a ação do telhado de sua casa, três helicópteros sobrevoaram o complexo. 'De repente, houve tiros do chão em direção aos helicópteros. Houve um intenso tiroteio e eu vi um dos helicópteros cair', disse Khan.

Oficiais americanos consultados pela agência de notícias Reuters confirmaram que um dos helicópteros americanos foi perdido, mas disseram que houve uma falha mecânica e que todos os tripulantes foram retirados em segurança.

Os militares teriam descido de corda no complexo de Bin Laden, que resistiu, iniciando um novo tiroteio no local. Bin Laden teria morrido com um tiro na cabeça. Os disparos dos marines americanos mataram ainda um de seus filhos e dois importantes aliados que viviam no complexo com suas famílias. Uma mulher também foi morta após ser usada como escudo humano por um dos homens de Bin Laden. Outras duas mulheres ficaram feridas.

Depois da ação, os americanos deixaram o local em helicópteros.

DNA

Os resultados iniciais do exame de DNA realizado pelas autoridades americanas confirmam a morte do líder da rede terrorista Al Qaeda, Osama bin Laden, informaram nesta segunda-feira fontes do governo citados pela agência de notícias Reuters e a TV CNN.

O teste mostrou "grande nível de confirmação" de que Bin Laden é um dos homens mortos na operação de um comando americano, em uma mansão na cidade paquistanesa de Abbottabad.

Fontes do governo haviam dito mais cedo que as autoridades americanas realizavam um teste de DNA em sangue coletado do corpo identificado como Bin Laden. O líder terrorista, contudo, já havia sido identificado por outras técnicas, como reconhecimento facial.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros