Domingo, 16 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,38
euro R$ 5,76
libra R$ 5,76

Mundo Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 16:30 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 16h:30 - A | A

Buscamos retomada de missão de assistência em Rafah, diz Alto Representante da UE

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

O Alto Representante da União Europeia, Josep Borrell, espera maiores esclarecimentos sobre a forma como o bloco pode implementar a missão de assistência civil nas fronteiras em Rafah, na Faixa de Gaza. Em coletiva de imprensa no contexto da reunião de ministros das Relações Exteriores da UE, ele disse que não é apenas o bloco que tem de decidir, já que egípcios, palestinos e israelenses são também parte da questão.

"Pediram-nos para reativar esta missão, que ainda existe, mas precisamos de aumentar o número de funcionários e precisamos de ter um acordo com todos os envolvidos. Não chegaremos a esse ponto sem um forte compromisso da Autoridade Palestina", afirmou.

"Ontem foi dito que uma conferência internacional teria de ser realizada, a fim de impulsionar a implementação da solução de dois Estados. Porque todos dizem que precisamos de uma solução de Dois Estados, mas no final, enquanto as pessoas dizem que os colonos estão ocupando cada vez mais terras na Cisjordânia, a violência continua, e a solução de Dois Estados parece cada dia mais difícil de alcançar. Então, deveríamos começar a falar sobre isso e começar a fazer alguma coisa", disse Borrell.

"A crise humanitária em Gaza é certamente a prioridade, mas a solução política - se quisermos realmente obter esta solução, temos de nos empenhar mais nisso. Os parceiros árabes têm propostas, queremos ouvi-los. Como sabem, esta é uma questão sobre a qual os Estados-Membros da UE têm abordagens diferentes. Vamos ver o que podemos fazer em conjunto com os parceiros árabes e outros membros da comunidade internacional", afirmou o diplomata.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros