Terça-feira, 18 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,42
euro R$ 5,83
libra R$ 5,83

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,42
euro R$ 5,83
libra R$ 5,83

Justiça Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 11:55 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 11h:55 - A | A

ASSISTENCIALISMO DO CV

Gaeco aponta que "WT" pagava contas de energia, doava cobertores e brinquedos com dinheiro do tráfico

Em 2021, quando Paulo Witer, o "Paulo Ita", foi solto da prisão, os moradores do bairro em que ele cresceu, o Jardim Florianópolis, chegaram a comemorar a notícia com festa e fogos de artifícios

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

Denúncia encaminhada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) à Justiça revela que Paulo Witer Farias Paelo, o 'WT', tesoureiro geral do Comando Vermelho em Mato Grosso, mantinha sua influência sobre os bairros da região norte de Cuiabá com assistencialismo, como o pagamento de contas de energia elétrica, fornecimento de cestas básicas, cobertores para o frio e brinquedos para crianças. A 'caridade' era custeada com o dinheiro do tráfico de drogas, comandado por ele nos bairros Jardim Vitória, Jardim Florianópolis e Novo Mundo. 

Em 2021, quando Paulo Witer, o 'Paulo Ita', foi solto da prisão, os moradores do bairro em que ele cresceu, o Jardim Florianópolis, chegaram a comemorar a notícia com festa e fogos de artifícios.

LEIA MAIS: WT usa assistencialismo e cestas básicas para ganhar apoio popular, aponta investigação

"Ainda, o denunciado possui um time de futebol amador, denominado de “amigos do WT”, que atrai uma legião de seguidores e consumidores dos produtos personalizados do time, como camisetas, copos e bonés", complementa a denúncia. 

Paulo Witer, o 'Paulo Ita', foi preso no fim de março em Maceió (AL) enquanto acompanhava o time num torneio. Operação Apito Final descortinou a participação de 25 pessoas no núcleo do tesoureiro do CV atuando como seus subordinados na lavagem de dinheiro e ocultação de bens. 

"Devido à sua grande influência na facção, ITA dispõe de comparsas e até familiares destes para realizar a lavagem do capital levantado com as práticas ilícitas e ocultação do seu patrimônio, que se mostrou incompatível com sua realidade profissional, eis que não possui registros de emprego formal e estava preso até pouco tempo atrás", ressalta o Gaeco. 

FRONTS DO CRIME

Dentre os denunciados estão Luiz Fernando da Silva Oliveira, conhecido como ‘Luiz Faixa Preta’, conhecido pela prática de golpes na 'OLX' e responsável pela utilização do nome da utilizava da mãe e da esposa para praticar lavar dinheiro do tráfico. Em nome da mãe, Emanuele Antônia da Silva, está registrada a empresa 'Marmitaria da Manu', cujo capital social é de R$ 3 mil, mas com movimentação de R$ 1,8 milhão nos últimos quatro anos, desde sua constituição. 

LEIA MAIS: Líder do Comando Vermelho é recebido com queima de fogos em Cuiabá ao deixar cadeia

Outro denunciado que movimentou quantias milionárias foi Renan Freire Borman, responsável pela compra dos veículos de WT. Ele é proprietário da microempresa “Certinho Veículos”, que não possui nenhum funcionário vinculado, nem endereço cadastrado, com capital social de R$ 100 mil, mas que movimentou R$ 14 milhões.

Veja a lista completa de denunciados aqui.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros