Quarta-feira, 19 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,84
libra R$ 5,84

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,43
euro R$ 5,84
libra R$ 5,84

Justiça Segunda-feira, 20 de Maio de 2024, 10:50 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 20 de Maio de 2024, 10h:50 - A | A

SEM ILEGALIDADE

Desembargadora nega recurso de Edna contra decisão que manteve Comissão Processante

Magistrada Helena Maria Bezerra Ramos ratificou a decisão de primeira instância ratificando a permissão de que nova Comissão Processante verse contra as mesmas acusações pelas quais Edna já foi cassada

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

A desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos negou recurso da vereadora Edna Sampaio (PT) contra decisão que manteve a Comissão Processante contra ela na Câmara de Cuiabá. A defesa da parlamentar argumentava que as investigações duplicavam as apurações já realizadas no processo administrativo disciplinar (PAD) de 2023, que resultou em sua cassação, posteriormente revertida via decisão judicial.

Na decisão de primeiro piso, o juiz Agamenon Alcântara Moreno Junior, da 3ª Vara Especializada da Fazenda Pública de Cuiabá, destacou que, apesar dos argumentos da defesa, o regimento interno da Câmara permite que as Comissões Processantes atuem por até 90 dias, após os quais o processo é arquivado, possibilitando nova denúncia sobre os mesmos fatos.

LEIA MAIS: Juiz não vê ilegalidades em Comissão Processante contra Edna e mantém investigação

Contra a decisão, os advogados de Edna propuseram agravo de instrumento relatado pela desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos. Em sua decisão, a magistrada consignou que o Judiciário deve se ater aos aspectos legais do rito administrativo. 

Nesse sentido, ela ratificou a decisão de primeira instância dando permissão de que nova Comissão Processante verse contra as mesmas acusações pelas quais Edna já foi cassada. 

"(...) em princípio, não restou demonstrado a existência de violação a direito líquido e certo, visto que a agravante/impetrante foi devidamente intimada para apresentação de defesa prévia, com o conhecimento dos fatos investigados, portanto, sem qualquer prejuízo à sua defesa", apontou. 

RACHADINHA 

Edna Sampaio é acusada de envolvimento na prática da 'rachadinha' envolvendo sua ex-chefe de gabinete, Laura Natasha de Oliveira Abreu, que teria sido, em tese, obrigada a devolver parte de sua verba indenizatória à vereadora. Segundo a ex-chefe de gabinete, as transferências somaram R$ 20 mil.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros