HiperNotícias - Você bem informado

Segunda-feira, 11 de Abril de 2011, 17h:00

Decorliz: Um case de sucesso

Saiba como a junção das palavras decoração e Elizete resultou numa história de absoluto sucesso e imensidão da loja que vende de talher a um home-theater, e que talvez faça parte do seu álbum pessoal de fotografias pelas memoráveis decorações natalinas

ISADORA SPADONI

Mayke Toscano/Hipernotícias
Desfrutando de excelente conceito entre os consumidores cuiabanos, a rede de lojas Decorliz possui centenas de atributos que podem ser aqui citados para justificar seu mérito. E é sem dúvidas a palavra "imensidão" o patamar de seu sucesso.
Há 22 anos, quando os recém-chegados Paulo Gasparoto e esposa Elizete Gasparoto decidiram abrir uma modesta loja de decorações na rua São Sebastião esquina com a Dom Bosco, não tinham dimensão de que, duas décadas depois, a pequena loja seria apenas uma de muitas outras da rede que viria a surgir. Jamais sonharam empregar 200 funcionários em um espaço que, ao todo, soma cerca de 20 mil metros quadrados, ofertando 25 mil itens dos mais variados. E quem ia dizer que os pisos vinílicos, carpetes, forros e divisórias - produtos que são carro-chefe da primeira loja - passariam a ser cama, mesa, banho, eletrodomésticos, utilidades, perfumaria e vestuário?

A Decorliz surgiu da união de conhecimentos de Paulo Gasparoto, economista, e sua esposa Elizete, decoradora. O nome, perfeito, sonoro, tão familiar aos ouvidos, é advindo da união de palavras - decoração e Elizete. A familiaridade, que vai da fachada ao ambiente interno, faz jus ao empreendimento tradicional e acolhedor, que bem recepciona, atende com excelência e satisfaz, seja na compra de um faqueiro, na prestação de serviço a casais - com a famosa ‘lista de casamento’ - e na preocupação com o todo, colaborando através de práticas socioambientais e culturais - como o projeto de reciclagem de lixo Recicle, exemplo seguido por outras empresas e cidadãos -, e o toque de mágica há muitos natais, fazendo da loja matriz (na avenida do CPA) cartão postal da data durante muitos anos.

A forte característica familiar, cujas diretrizes, estratégias e operações são comandadas pelo grupo familiar, e a obstinação pelo trabalho, fizeram com que a Decorliz passasse por todos os ônus e percalços para hoje desfrutar deste bom resultado. “Essa história passou ao longo do tempo por sérias dificuldades, mas o nível de empreendedorismo das pessoas, as que são obstinadas, vocacionadas ao comércio, trabalham à noite, aos sábados, domingos, natais e ano novo; enquanto todos estão preparando-se para a ceia, nós estamos nas lojas trabalhando, correndo, atendendo, dentro dessa perspectiva sempre alentadora de fazer com que o negócio dê certo”, conta Paulo Gasparoto.

ProgramaVip
O casal Paulo e Elizete Gasparotto: mais que união de almas, união de talentos

Ele acredita que existe um ciclo difícil de ser executado, mas necessário para o desenvolvimento de uma empresa. “São uma série de iniciativas pessoais que se transformam ao longo do tempo na dignidade da pessoa humana. Desejar um mundo melhor, não para si e seus negócios, mas também contaminar de bondade, entusiasmo, boa vontade, educação e conhecimento aquelas pessoas dentro da empresa. E, por extensão, todos os clientes e fornecedores".

 

O fraquejo e o desestímulo batem sempre à porta dos membros - proprietários e donos de empreendimentos - que compõem o topo da pirâmide. O único consolo está no poder da transformação. “Dentro do negócio, a gente procura transformar outras vidas, energizando-as de entusiasmo. Mas não temos quem nos motive; precisamos arrancar, mesmo no entardecer da vida, esse entusiasmo que nos faz estar vivos e realizados através do nosso trabalho prospectado”.

PROJETO RECICLE

A Decorliz é (ecologicamente) responsável por fazer o bem e passá-lo para a frente. Prova prática disso é o projeto de reciclagem do lixo Recicle, que funciona através de um processo interno de coleta por categoria. Resíduos como plástico, papelão, ferro e vidro, utilizados para embalar e transportar itens, retornam ao local de origem (Decorliz), onde são reutilizados ou reciclados. A empresa possui um site para divulgação do projeto, no qual disponibiliza acesso a uma lista de lugares para vender ou doar recicláveis. Além disso, a ideia de conscientização pode ser adotada também através da alimentação, com receitas que usam partes de alimentos geralmente desperdiçados - por exemplo, doce de casca de banana e patê de talos - e o melhor aproveitamento do óleo de cozinha. (www.decorliz.com.br/recicle)

A Decorliz também coordenou durante 10 anos uma casa transitória de apoio aos pacientes em tratamento de câncer.

UM NEGÓCIO, VÁRIAS PERSONALIDADES

Atualmente, existem seis lojas espalhadas por Cuiabá, além das perfumarias e empresas parceiras. Cada uma compõe um estilo próprio para atender a variados gostos, poderes aquisitivos e marcar presença em todos os locais. A pequena loja inaugurada em 1989, com seus humildes 400 metros quadrados arquitetados na São Sebastião, hoje é a Decorliz Sierra - resultado de uma parceria feita com a Sierra Móveis, grande rede de móveis de alta performance no Brasil, com aproximadamente 200 lojas. “É uma loja específica para venda de adornos, decorações e móveis da marca Sierra, e desfruta de um bom conceito junto ao público A e B”, explica o empreendedor.

Mayke Toscano/Hipernotícias
A loja matriz fica localizada na Rubens de Mendonça, e sua presença atrai até olhares desapercebidos. O grande espaço atende a todas as necessidades do lar - móveis, decoração, cama, mesa e banho, utilidades domésticas, camping e praia - com direito a butique de roupas e perfumaria no piso inferior. Os noivos e convidados de cerimônia são grandes consumidores do espaço, que deixa à mostra, já na entrada, uma grande caixa contendo diversas listas de presentes dos próximos casórios.

 

NATAL CUIABANO

Inspirando-se no iluminado natal de Gramado-RS, a Decorliz (loja matriz) foi por muitos anos o cartão postal dos natais cuiabanos, e até se tornou inspiração para empresários e autoridades do Estado. “Aquela Cuiabá oferecia muito pouco em termos de natal à sociedade, então a Elizete tomou a iniciativa de oferecer uma decoração que pudesse incentivar as pessoas, principalmente crianças, a visitar as nossas instalações e gerar um nível de fraternidade nessa data tão interessante que é o nascimento de Jesus”.

A empresa foi premiada durante vários anos, sendo considerada a melhor decoração natalina de Cuiabá. Tempos depois o Governo do Estado, através da primeira dama Terezinha Maggi, proporcionou maiores dimensões a esse sonho de natal, primeiramente no parque Mãe Bonifácia, depois em outros locais.

“Achamos melhor deixar de fazer de maneira tão grandiosa, porque o Estado já vinha oferecendo uma coisa mais bonita e consistente. Enquanto o Estado não fez, nós fizemos, depois que o Estado passou a fazer, nós achamos melhor nos abdicarmos para não ofuscá-lo”.

Geminada ao Supermercado Modelo da avenida Fernando Corrêa, a Decorliz Coxipó difere das outras por ser um grande magazine, também trabalhando com cama, mesa e banho, vestuário, móveis para todas as classes, utilidades domésticas e produtos esportivos - esteiras, aparelhos para ginástica, camping e praia.

Também na Fernando Corrêa, outra loja que oferece grande variedade de móveis a pronta entrega, jogos de jantares, sofás e todos os produtos necessários para o mobiliário de uma casa. Dentro dessa gama estão também produtos de decoração e ornamentação.

Na Rubens de Mendonça, a Decorliz Design é o que há de inovação no conceito de interiores. Inaugurada há cerca de dois anos, seus moveis são um pouco mais sofisticados e atendem a um determinado perfil de público - homens. O foco são as confortáveis salas de TV, figuradas pelo conceito “cinema em casa”. A Decorliz Design mostra que um pequeno quarto ocioso em casa pode se tornar um cinema caseiro, mas nem por isso inadequado.

“Além de uma rede de perfumarias, sendo algumas inclusas dentro dos nossos pontos de venda, e algumas nos shoppings da rede de Cuiabá, basicamente a nossa rede de lojas está resumida neste grupo de perfumarias e lojas mais ou menos com as mesmas afinidades de produtos, móveis de decoração, cama, mesa e banho, e logicamente a única loja que se destoa mais é a Fernando Corrêa, ao lado do modelo, onde vendemos vestuários. É o único ponto de venda que vendemos esse tipo de produto, e é um ponto que está bem casado com o público que o freqüenta.”

Ainda neste primeiro semestre de 2011, mais duas novas lojas surgirão. Uma seguindo os padrões do magazine geminado ao estacionamento do Modelo Coxipó - sendo a nova unidade localizada ao lado do Modelo da avenida Miguel Sutil. E a segunda nova loja, na avenida Beira Rio, ao lado do jornal Diário de Cuiabá.

 

 

Para Paulo Gasparotto, empreender é: OBSTINAÇÃO!


1. Dicas para quem quer iniciar um empreendimento

“Quem quer iniciar um empreendimento hoje deve ser muito cauteloso, fazer muitas pesquisas e saber se ainda tem espaço e oportunidade dentro daquilo que planeja. Ter um conhecimento técnico e profissional na área de comercialização de produtos e, principalmente, dentro da parte contábil e tributária. Conhecer todos os impostos, a forma com que ele vai ser regido pelo estado, para que amanhã não tenha surpresas desagradáveis contrariando aquilo que achava fácil e na verdade não é. Então, eu recomendo àqueles que desejarem entrar no mercado de comércio varejista ter objetivos e fazer uma série de renúncias, estar extremamente dedicado e focado ao seu negócio, procurar, se ainda não tem, órgãos que ofertam conhecimento - como o Sebrae e outros -, conhecer todos os encargos que ele tem junto ao estado, à sociedade e aos consumidores. O código do consumidor hoje é um código muito ativo, embora só tenha 20 anos, de extrema responsabilidade social no setor empresarial. E para que ele não tenha uma morte prematura, como acontece às dezenas de empresas que vão achando que a coisa é fácil, que todo mundo ganha e ele também vai ganhar, mas as vezes as coisas não são bem assim. Sem um conhecimento técnico, sem profissionalismo e sem uma dedicação exclusiva e foco no negócio dificilmente terão sucesso em suas atividades.”

2. O Custo Brasil é realmente um obstáculo para o empreendedor?

“O Custo Brasil é o pior obstáculo que nós temos hoje. Ele passou de todos os limites suportados pelas empresas. Está além de qualquer imaginação de outro país. Nosso custo hoje é um custo que aterroriza o setor empresarial. E se você me perguntasse quais áreas ele atinge, eu poderia te dizer: ele atinge na logística, nos transportes, nas rodovias, nas estradas, nos portos, aeroportos, com uma carga tributária terrível que as empresas têm que pagar; ele atinge o setor público que dá um péssimo atendimento às pessoas, seus funcionários têm um péssimo atendimento na área de saúde e educação, e as empresas têm que complementar tudo isso, pois senão eles passam dificuldade. Enfim, o Custo Brasil hoje é extremamente oneroso e o mais perverso para o setor empresarial.”

3. O que é empreender para você?

“Eu acho que a própria palavra determina. É a capacidade que as pessoas têm de se renovar a cada minuto para fazer com que seus negócios sejam viáveis. Você pode empreender em qualquer atividade, não só comercial, como agrícola, industrial e tantas outras atividades que nós temos nas áreas de profissionais liberais hoje, com uma demanda muito forte por engenheiros, médicos, advogados, etc. Empreender é a capacidade que a pessoa têm de se resignar dentro do seu propósito e ser um vencedor. Aquele que é capaz de enxergar e fazer com que a complementação de sua vida possa ser regada a sacrifícios para conseguir seus objetivos, é um empreendedor. Aquele que no meio do caminho já desanima, já fica enfadado dos problemas, dos Custos Brasis da vida, acaba desanimando e então ele não é um empreendedor. Empreendedor é aquele que tem capacidade de vencer todos os obstáculos que aparecem a sua frente”.

4. O que é mais importante: dinheiro ou criatividade?

“A criatividade traz o dinheiro, uma está ligada a outra. Se você pegar um Bill Gates, a sua capacidade de imaginação, de inteligência e de QI fez dele um dos homens mais bem sucedidos do mundo. Quem não tem capacidade criativa e imaginativa logicamente tem mais dificuldade nas suas atividades.”