Economia Quinta-feira, 30 de Junho de 2011, 16:12 - A | A

Quinta-feira, 30 de Junho de 2011, 16h:12 - A | A

Oposição quer investigar BNDES na fusão Pão de Açúcar/Carrefour

Deputados questionam atos de 'contentração econômica apoiados pelo banco', relembrando investimentos no JBS-Friboi e Oi-BrTelecom

DA FOLHA DE SÃO PAULO

A oposição apresentou nesta quinta-feira na Câmara dos Deputados uma série de requerimentos que pedem investigações e esclarecimentos sobre a participação do BNDES na fusão entre o Pão de Açúcar e o Carrefour.

O líder do DEM, deputado ACM Neto (BA), quer discutir o caso na Comissão de Direito do Consumidor. Foram três requerimentos: para a realização de audiência pública, de convocação do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio) e outro de pedido de informações.

O deputado ressalta que a operação, que deve ser de investimentos de R$ 4 bilhões por parte do BNDES, se soma a outros atos de "concentração econômica recentemente apoiados pelo banco, como do JBS-Friboi e Oi-BrTelecom".

"É de se registrar que o BNDES é uma empresa pública, que vem trabalhando, na maior parte das vezes, com recursos emprestados a taxas subsidiadas pelo Tesouro Nacional, a um custo que recai sobre todos os brasileiros e que, segundo cálculos de especialistas, ultrapassa a casa de R$ 15 bilhões por ano", justifica o deputado.

Já o PPS pede para que o TCU (Tribunal de Contas da União) investigue os aportes que o BNDES fez no grupo JBS Friboi para, consequentemente, barrar novas ações, como na negociação entre Pão de Açúcar e Carrefour.

"A função do BNDES não é apoiar a internacionalização de empresas brasileiras que já são competitivas no mercado e virar sócio de negócios privados. É fomentar projetos de desenvolvimento que possam gerar empregos. No caso da JBS Friboi, até a internacionalização deu errado", critica o líder do PPS, Rubens Bueno (PR), que assina o pedido de auditoria.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros