Economia Sexta-feira, 10 de Junho de 2011, 17:44 - A | A

Sexta-feira, 10 de Junho de 2011, 17h:44 - A | A

ASCENSÃO

Dólar fecha em alta e acumula ganhos de 1,33% na semana

Moeda americana fechou em alta de 0,50% ante o real, cotado a R$ 1,597 na venda, alcançando na máxima do dia R$ 1,601, maior patamar em duas semanas

PORTAL TERRA

O pessimismo no exterior elevou o dólar nesta sexta-feira (10), com investidores aumentando a busca por segurança em meio a novos sinais de que a recuperação econômica global está vacilando. A moeda americana fechou em alta de 0,50% ante o real, cotado a R$ 1,597 na venda, alcançando na máxima do dia R$ 1,601, maior patamar em duas semanas. No acumulado da semana, a divisa dos EUA registrou ganho de 1,33%.

O motivo para o mau humor foram dados comerciais mostrando redução no superávit comercial da China. Apesar de as fortes importações indicarem que a demanda do país segue robusta, o mercado preferiu olhar para a queda nas exportações como sinal de menor demanda global.

"O mercado financeiro global teve ontem um espasmo de melhora dentro do cenário negativo que tem prevalecido. Contudo, como (essa melhora) decorreu de fatores pouco consistentes, não se sustenta hoje e, assim, retoma (...) a convivência com vastas incertezas", escreveu o diretor executivo da NGO Corretora de Câmbio, Sidnei Nehme. No exterior, o dólar avançou 0,9% contra uma cesta de divisas . O euro era um dos destaques negativos, sucumbindo às incertezas com relação a um segundo pacote de ajuda à Grécia.

A ausência de um acordo entre nações da própria zona do euro jogava contra a confiança do investidor. A Alemanha vem aumentando a pressão para que investidores privados contribuam com o novo socorro financeiro a Atenas. O Banco Central Europeu (BCE), porém, se opõe a qualquer participação de investidores que possa ser considerada involuntária.

A aversão a risco golpeava também os mercados de ações e de commodities. Os principais índices de ações dos Estados Unidos recuavam mais de 1%, com o índice de tecnologia Nasdaq entrando em território negativo em 2011. Nas operações eletrônicas em Nova York o petróleo caiu 2,6%.

Analistas de câmbio do banco francês BNP Paribas apostam que desmontes de posições vendidas na moeda americana nos mercados futuros podem abrir espaço para mais altas da moeda câmbio nos próximos dias.

"O desmonte das já elevadas posições dos estrangeiros podem ser o motivo para uma correção. Apesar disso, tanto o carry trade favorável quanto as perspectivas de fluxos de capitais provavelmente devem dar suporte ao real mais à frente", escreveram em relatório.

Segundo dados atualizados, relativos à véspera, os investidores não-residentes mantinham pouco mais de US$ 20 bilhões em exposição vendida nos mercados de dólar futuro e cupom cambial (DDI). "Continuamos com o call de venda de dólar quando a cotação atingir a casa de R$ 1,61 e R$ 1,62".


Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros