Economia Terça-feira, 20 de Dezembro de 2011, 14:16 - A | A

Terça-feira, 20 de Dezembro de 2011, 14h:16 - A | A

TRABALHO

Brasil gera 43 mil empregos em novembro, aponta Caged

Esse é o pior resultado no ano e para o mês de novembro desde 2008, informa o governo

DA FOLHA DE SÃO PAULO

O Brasil registrou a criação de 42.735 vagas com carteira assinada em novembro. Este é o pior resultado do ano e o pior mês de novembro desde 2008, quando houve fechamento de 40.821 postos de trabalho. Os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) foram divulgados nesta terça-feira (20) pelo Ministério do Trabalho.

Na comparação com novembro de 2010, o resultado foi 69% menor, quando foram gerados 138.247 postos de trabalho. Em relação a outubro, segundo o Ministério do Trabalho, houve redução no ritmo de crescimento do emprego --quando foram criadas 126 mil vagas, queda de 66% na geração.

O resultado, segundo o governo, é o reflexo dos efeitos negativos da crise internacional que atinge em especial "alguns setores de atividade econômica, como a agricultura, a indústria de transformação, construção civil e o ramo de ensino do setor serviços".

Imagem da Internet

O resultado é decorrente da contratação de 1.620.422 milhão de pessoas e da demissão de 1.577.687 milhão de trabalhadores.

Os principais setores responsáveis pelo desempenho foram o de comércio (107.920), em especial o comércio varejista, que gerou 99.932 vagas e o setor de serviços (53.999).

ACUMULADO

No acumulado deste ano, de janeiro a novembro, o número de empregos com carteira assinada alcançou 2,32 milhões. O resultado representa uma queda de 20,4% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram abertas 2,91 milhões de vagas.

Em 12 meses, a geração de empregos atingiu 1,9 milhões postos de trabalho, correspondendo ao aumento de 5,23%, na comparação com o mesmo período de 2010.

META

O ritmo de geração de empregos começou a cair no segundo semestre, quando o governo informou que não bateria a meta prometida no início do ano, de geração de 3 milhões vagas --muito além da expectativa de órgãos do próprio governo, como o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) e o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e de economistas.

A previsão para 2011, segundo o então ministro Carlos Lupi, foi rebaixada para até 2,4 milhões em setembro. Lupi explicou, naquele mês, que a geração mensal de vagas ocorria num ritmo menor no segundo semestre devido a uma desaceleração da economia e da forte entrada de produtos importados, "que está prejudicando as contratações na indústria".

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

 

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros