Quarta-feira, 24 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

Cidades Terça-feira, 19 de Março de 2024, 19:10 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 19 de Março de 2024, 19h:10 - A | A

CONSULTAS CANCELADAS

Pacientes da Unimed Fácil denunciam interrupção nos atendimentos com queda de sistema

Os pacientes também reclamam que não foram avisados sobre a situação, muito menos sobre os cancelamentos nas consultas e exames

RAYNNA NICOLAS
Da Redação

Pacientes da Unimed Fácil - linha mais básica de planos de saúde - denunciaram a falta de atendimento nas unidades da rede diante do "apagão" sofrido pelos sistemas da cooperativa. Sem os hospitais da própria Unimed, os pacientes não têm a quem recorrer, já que a modalidade de plano contratada admite o atendimento somente nas unidades da própria cooperativa.

O problema se estende há cerca de dois dias, segundo relatos encaminhados ao HNT. Os pacientes também reclamam que não foram avisados sobre a situação, muito menos sobre os cancelamentos nas consultas e exames.

"A Unimed deixou todos seus pacientes sem atendimento alegando que não tem acesso ao cadastro do usuário, não tem acesso às agendas e por isso os médicos não podem atender. É um desrespeito. A Unimed não ter um backup, não ter telefone para comunicar os pacientes agendados, não ter previsão de retorno do sistema, é confirmar mesmo que a Unimed está falindo", disparou uma usuária da Unimed Fácil à reportagem.

A cooperativa, que está na mira da Agência Nacional de Saúde (ANS) desde o ano passado por um rombo de R$ 400 milhões, alega que sofreu um ataque cibernético, mas que os atendimentos não foram interrompidos. Embora a Unimed também argumente que a inoperância atingiu somente o sistema de liberação de consultas e agendamentos, usuários relataram que encontraram as farmácias Unimed de portas fechadas.

Nos consultórios os médicos que continuaram os atendimentos, as fichas precisaram ser feitas manualmente e serão posteriormente lançadas no sistema.

OUTRO LADO 

Além de negar a interrupção dos atendimentos, a Unimed Cuiabá divulgou nota garantindo que os hackers não tiveram acesso a dados sensíveis dos clientes da cooperativa, respaldados pela Lei Geral de Proteção de Dados, a LGPD.

A Unimed ressaltou, por fim, que está à disposição para prestar esclarecimentos. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros