Quarta-feira, 24 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

Cidades Quarta-feira, 20 de Julho de 2022, 10:53 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 20 de Julho de 2022, 10h:53 - A | A

INFLAÇÃO EM ALTA

Leite e derivados contribuem para aumento da cesta básica em Cuiabá ultrapassando R$ 710

Maioria dos alimentos registrou diminuição nos preços

MÁRCIA TOMAZ
Da Redação

A cesta básica teve o terceiro aumento consecutivo em Cuiabá, com crescimento de 0,89% entre a segunda e a terceira semana de julho. O leite e seus derivados foram os principais alimentos que contribuíram para o aumento do valor da cesta básica, que passou de R$ 704,13 para R$ 710,42, de acordo com dados do Instituto de Pesquisas e Análise da Fecomércio (IPF-MT).

De acordo com o levantamento, a maioria dos alimentos registrou diminuição nos preços. O acréscimo de 0,89% no valor da cesta também fez com que o produto voltasse a ficar acima dos R$ 700, o que não ocorria desde a terceira semana de junho.

O diretor de Pesquisas do IPF-MT e superintendente da Fecomércio, Igor Cunha, abordou a forte influência dos produtos lácteos no aumento do preço.

“Essa variação no preço ocorre desde o início de maio, surpreendendo os consumidores cuiabanos, visto que sua correção no valor está relacionada a uma série de fatores como o aumento dos grãos da ração bovina, a qualidade dos pastos”, destaca.

Dentre os produtos que apresentaram as maiores variações na semana, o leite se destaca com aumento de 7,03%, acumulando, ainda, alta de 33% desde o início de maio. A manteiga também apresentou elevação no valor no comparativo com a semana anterior, resultando em uma variação positiva de 5,99%.

A banana também registrou alta semanal de 3,40%. Este é a segunda semana consecutiva de alta no preço. Para o instituto, o seu aumento pode estar relacionado com a oferta controlada dos atacadistas, que incide sobre a cadeia até chegar aos supermercados.

Para o Instituto a análise concluiu ainda, que apesar de o cenário econômico do país estar registrando alta na inflação e nos juros, ainda há tendência de baixas oscilações, considerando as medidas de contenção dos preços da gasolina que começou a baixar a partir desta quarta-feira (20).

Outro item apontado pela pesquisa, é que alguns alimentos estarão em processo de aumento da oferta, por exemplo, o tomate, que apesar de registrar uma alta na primeira semana de julho, apresentou já na segunda semana do mês uma redução no preço de -2,96%, ou seja, uma queda de R$1,59 no seu valor de uma semana para outra.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros