Cidades Quinta-feira, 20 de Outubro de 2011, 10:39 - A | A

Quinta-feira, 20 de Outubro de 2011, 10h:39 - A | A

DIÁLOGO

Homofobia é o foco principal da Conferência Estadual de Direitos Humanos LGBT

Objetivo do encontro é fortalecer o movimento e criar conselhos municipal e estadual da diversidade sexual em Mato Grosso

Divulgação

Conferência Regional da Baixada Cuiabana que antecedeu a conferência estadual, foi realizada na terça-feira (18) no auditório da Seduc

A discriminação contra gays, lésbicas, bissexuais, travestis, transgêneros e transexuais em Mato Grosso será o foco da 2ª Conferência Estadual de Direitos Humanos LGBT, que inicia nesta quinta-feira (20) às 17h30, e promete reunir cerca de 250 conferencistas em prol de uma política da igualdade.

O tema da conferência “Por um país livre da pobreza e da discriminação”, tem por objetivo avaliar a implantação de políticas públicas voltadas ao combate a discriminação e a promoção dos direitos para o grupo LGBT.

Conforme explicou a gestora do centro de referência do combate à homofobia, Cláudia Cristina Ferreira Carvalho, que coordena a conferência estadual, existem três encaminhamentos que saiu da reunião da Baixada Cuiabana, que será discutido na instância estadual e que será enviada para a Conferência Nacional realizado na segunda semana de dezembro deste ano.

“Queremos fortalecer o centros de referências, propor a criação dos conselhos estaduais e municipais e a criação da coordenadoria estadual que ainda não existe”, informou.

No total, 27 municípios estão chegando à Cuiabá para participar da conferência que inicia nesta quinta-feira e vai até o sábado (22) no Centro de Eventos do Pantanal. A secretária Nacional de Promoção dos Direitos Humanos da Presidência da República, Nadine Borges, e o secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos, Paulo Lessa, entre outras autoridades estarão presentes na conferência.

O presidente do Grupo Afro-descendente de Livre Orientação Sexual/Gradelos, Leonardo Henrique Figueiredo, informou que a bandeira a maior bandeira de um tema tão recente discutido em âmbito nacional é fazer com que a “baixada cuiabana esteja livre da discriminação, promovendo a cidadania LGBT”.

REALIDADE

Leonardo Henrique apontou que a realidade das pessoas vítimas de homofobia, quando envolvidas em alguma situação extrema, não tem um tratamento adequado. “O que vemos também é que a maioria dos casos envolvendo grupos LGBT ficam sem solução”, afirmou.
  
Na esfera municipal a questão da diversidade é ainda mais deficiente. “Não há ainda um compromisso de assumir o assunto da diversidade a nível municipal”, pontuou.

A reunião de instância estadual é realizado dois dias depois da 2ª Conferência Regional da Baixada Cuiabana que reuniu Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Centro de Referência em Direitos Humanos da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos de Mato Grosso ( Sejudh), Grupo Afro-descendente de Livre Orientação Sexual/Gradelos e Sindicato dos Trabalhadores da Rede Pública de Ensino.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros