Segunda-Feira, 20 de Janeiro de 2020, 15h:20

Tamanho do texto A - A+

Após contratação de Bruno, banco proíbe uso da marca em camiseta do Operário de VG

Por: WELLYNGTON SOUZA

O Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi), um dos patrocinadores do campeonato estadual mato-grossense de futebol, informou nesta segunda-feira (20), que determinou ao Clube Esportivo Operário Várzea-grandense, a retirada da marca nos uniformes dos jogadores, após contratação do goleiro Bruno Fernandes, condenado por homicídio triplamente qualificado.

Reprodução

IMG_7099.jpg

 

No entanto, a cooperativa mantém apoio financeiro com a Federação Mato-Grossense de Futebol (FMF) e o campeonato deste ano.

“Esclarecemos que o patrocínio do Sicredi é com a Federação Mato-Grossense para o Campeonato Estadual de Futebol 2020 e não contemplará o clube esportivo Operário Várzea-Grandense”.

Condenação

O goleiro foi condenado a 22 anos e 3 meses pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e também pelo sequestro e cárcere privado do filho Bruninho.

Bruno foi condenado a 17 anos e 6 meses em regime fechado por homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, asfixia e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima), a outros 3 anos e 3 meses em regime aberto por sequestro e cárcere privado e ainda a mais 1 ano e 6 meses por ocultação de cadáver.

Eliza desapareceu em 2010 e seu corpo nunca foi achado. Ela tinha 25 anos e era mãe do filho recém-nascido do goleiro Bruno, de quem foi amante. Na época, o jogador era titular do Flamengo e não reconhecia a paternidade.

Justiça autoriza contratação

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMT) autorizou a proposta do Operário de contratar o goleiro Bruno Fernandes. A decisão é do juiz Tarciso Moreira de Souza, da Vara de Execução em Meio Aberto e Medidas Alternativas de Varginha. Com a decisão do juiz, o goleiro está liberado para contratação no time que disputará a Série D do Campeonato Brasileiro.

Mulheres repudiam contratação

Uma manifestação contra a admissão do atleta Bruno Fernandes está sendo organizado por um grupo de mulheres. O ato de repúdio está marcado para terça-feira (21), às 19h, no estádio Dito Souza em Várzea Grande. Uma das administradoras do evento, a presidente do Conselho Estadual de Direitos da Mulher (CEDM), Gláucia Amaral, afirma que essa manifestação será apenas a primeira e destaca que não só o clube, mas também os patrocinadores deveriam repensar a contratação de Bruno.

Avalie esta matéria: Gostei +1 | Não gostei