Brasil Sexta-feira, 17 de Junho de 2011, 14:32 - A | A

Sexta-feira, 17 de Junho de 2011, 14h:32 - A | A

Presidente da CNBB defende marchas contra a maconha

DA FOLHA DE SÃO PAULO

O presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), cardeal Raymundo Damasceno, defendeu nesta sexta-feira que a sociedade também deveria organizar marchas contra a maconha. Na última quarta-feira, o STF (Supremo Tribunal Federal) liberou a realização de atos pró-maconha.

"A Igreja se opõe a qualquer tipo de droga, a não ser em casos terapêuticos", afirmou. 'Não sei como os pais e mães vão receber isso [a decisão do STF]', completou.

Para ele, a sociedade deve estar "atenta" e não se deixar levar pela posição de parte da sociedade. "Não queremos jovens anestesiados", disse.

O cardeal ponderou que o dependente de drogas não deve ser criminalizado. "A Igreja já apoia diversas alternativas de tratamento para os que precisam."

HOMOFOBIA

O presidente da CNBB evitou falar sobre a lei anti-homofobia, que está no Senado e vem sendo criticada por evangélicos. Segundo ele, a entidade ainda precisa conhecer melhor a proposta para avalia-la.

"O que podemos dizer é que a Igreja não apoia nenhuma forma de preconceito", resumiu.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

JOÃO 20/06/2011

Muita gente pode achar que estou perdendo meu tempo escrevendo isso, mas eu me importo com meu povo, até com aqueles que querem fazer de sua própria vida, um mini sanatório ambulante. Entre tantas reivindicações paranóicas, que vemos por parte de várias pessoas, e, inclusive políticos, vou falar de uma delas que é a maconha. A confusão mental gerada pelo oportunismo, deu vergonhosamente, uma noção bem atrofiada dos direitos humanos, e, sociais, a políticos que infelizmente, agem colocando o rabo entre as pernas, numa questão de gravidade tamanha e cristalina, até a olhos infantis. Quando as pessoas vão fazer passeata em função do salário, em função do desemprego, em função do atendimento em hospitais, do ensino nas escolas, da justiça em geral, ligada ao bem estar social, a consciência, aos direitos paternais, etc., Essas passeatas tem um objetivo de construir um mundo melhor para todos. Quando outro grupo de pessoas vão fazer passeatas pelo uso da maconha, dá uma porta aberta, para outros, fazerem passeatas pelo uso da cocaína, da heroína, do crack, do êxtase, e de outras drogas entorpecentes, cujo objetivo é criar uma sub-raça de seres escravizados a substâncias químicas, e alucinógenas. Liberação maconha, é colocar por terra, todo o trabalho do governo, e da justiça, em trazer paz aos cidadãos, que pagam seus impostos em cada produto que consomem a cada dia, com a finalidade de tentarem contribuir para uma vida melhor tanto para seus filhos, como também para aqueles que virão amanhã. Liberar maconha, é não fazer o menor caso de milhares de vidas que foram mortas, injustamente por bandidos em busca de seus prazeres diabólicos, é desprezar centenas de famílias que sofrem com seus filhos viciados, que batiam nos pais dentro de casa, para terem (a força) dinheiro para compra da droga, que traficantes vendiam sem se importarem nada, nada, com as famílias que iam destruir. Liberar maconha, é jogar todo o dinheiro que foi investido em centro de tratamento

JOÃO 20/06/2011

Muita gente pode achar que estou perdendo meu tempo escrevendo isso, mas eu me importo com meu povo, até com aqueles que querem fazer de sua própria vida, um mini sanatório ambulante. Entre tantas reivindicações paranóicas, que vemos por parte de várias pessoas, e, inclusive políticos, vou falar de uma delas que é a maconha. A confusão mental gerada pelo oportunismo, deu vergonhosamente, uma noção bem atrofiada dos direitos humanos, e, sociais, a políticos que infelizmente, agem colocando o rabo entre as pernas, numa questão de gravidade tamanha e cristalina, até a olhos infantis. Quando as pessoas vão fazer passeata em função do salário, em função do desemprego, em função do atendimento em hospitais, do ensino nas escolas, da justiça em geral, ligada ao bem estar social, a consciência, aos direitos paternais, etc., Essas passeatas tem um objetivo de construir um mundo melhor para todos. Quando outro grupo de pessoas vão fazer passeatas pelo uso da maconha, dá uma porta aberta, para outros, fazerem passeatas pelo uso da cocaína, da heroína, do crack, do êxtase, e de outras drogas entorpecentes, cujo objetivo é criar uma sub-raça de seres escravizados a substâncias químicas, e alucinógenas. Liberação maconha, é colocar por terra, todo o trabalho do governo, e da justiça, em trazer paz aos cidadãos, que pagam seus impostos em cada produto que consomem a cada dia, com a finalidade de tentarem contribuir para uma vida melhor tanto para seus filhos, como também para aqueles que virão amanhã. Liberar maconha, é não fazer o menor caso de milhares de vidas que foram mortas, injustamente por bandidos em busca de seus prazeres diabólicos, é desprezar centenas de famílias que sofrem com seus filhos viciados, que batiam nos pais dentro de casa, para terem (a força) dinheiro para compra da droga, que traficantes vendiam sem se importarem nada, nada, com as famílias que iam destruir. Liberar maconha, é jogar todo o dinheiro que foi investido em centro de tratamento

2 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros