Quarta-feira, 24 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,59
euro R$ 6,07
libra R$ 6,07

Brasil Terça-feira, 19 de Março de 2024, 08:00 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 19 de Março de 2024, 08h:00 - A | A

DEPOIS DE ENCONTRO MINISTERIAL

Pasta da Saúde demite diretor em meio à crise de hospitais federais

Função passará a ser acumulada pela superintendente do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, Maria Aparecida Braga

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

Horas após a reunião ministerial na qual o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) cobrou a ministra da Saúde, Nísia Trindade, pela situação precária dos hospitais federais do Rio, entre outros temas, a pasta anunciou na noite desta segunda-feira (18) a exoneração (demissão) do diretor do Departamento de Gestão Hospitalar (DGH), Alexandre Telles. A função passará a ser acumulada pela superintendente do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, Maria Aparecida Braga.

No comunicado em que informa sobre a troca, o ministério afirma que "a mudança ocorre diante da necessidade de transformação na gestão do DGH". E completa: "Na última sexta-feira, foi criado um comitê gestor a fim de orientar e praticar atos de gestão relativos aos hospitais federais".

A nota também se refere especificamente ao Estado do Rio de Janeiro, onde fica a maior parte da rede de hospitais federais. "O Ministério da Saúde reforça seu compromisso em estabelecer as ações necessárias e empenhar todos os esforços para a reconstrução e fortalecimento dos Hospitais Federais, para que toda a população do Rio de Janeiro tenha acesso à saúde pública de qualidade", diz o texto.

No domingo, 17, o Fantástico, da TV Globo, exibiu reportagem mostrando a precariedade e os problemas de atendimento em seis hospitais federais do Rio, que foram alvo da intervenção do Ministério da Saúde na semana passada, com a criação de um comitê gestor que vai centralizar as compras dessas unidades.

Como mostrou a Coluna do Estadão, a decisão de centralizar os processos de compras das unidades federais do Rio deflagrou uma forte insatisfação no PT, que fez as indicações para os hospitais. Além disso, o Centrão tenta derrubar a ministra, devido à dificuldade no acesso a emendas da pasta.

Ao discursar durante a reunião ministerial, nesta segunda-feira, ela chegou a se emocionar. A reunião ministerial desta segunda-feira aconteceu no Palácio do Planalto após pesquisas indicarem queda na aprovação do governo. Ministros foram proibidos de entrar com celulares.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros