Terça-feira, 25 de Junho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,39
euro R$ 5,79
libra R$ 5,79

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,39
euro R$ 5,79
libra R$ 5,79

Política Terça-feira, 21 de Maio de 2024, 18:31 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 21 de Maio de 2024, 18h:31 - A | A

"ANTI-INDÍGENA"

Retorno de Nelson Barbudo é visto com "preocupação" por povos indígenas em MT

Presidente da Fepoimt, Eliane Xunakalo, disse que os interesses defendidos pelo deputado federal seguem na contramão do pleito por políticas públicas

CAMILA RIBEIRO
Da Redação

A presidente da Federação dos Povos e Organizações Indígenas de Mato Grosso (Fepoimt), Eliane Xunakalo, disse ao HNT que a entidade recebe o retorno do deputado federal Nelson Barbudo (PL) com "preocupação", em decorrência da sua atuação radical contra as demarcações de terras. Conforme Eliane, o deputado é "anti-indígena" e representa o lado oposto a luta por políticas públicas protagonizada pela entidade.

"A palavra não é temor, pois temor é medo. A gente não tem medo dele, a gente tem preocupações com as ações que possa ele fazer ou dar continuidade das ações que ele já fez em sua outra legislatura", falou Eliane Xunakalo. 

LEIA MAIS: Nelson Barbudo volta como oposição "ferrenha" a Lula: "perseguidor implacável da Justiça"

Nelson Barbudo foi empossado em Brasília, nesta terça-feira (21), na cadeira que pertencia à deputada federal Amália Barros (PL), que morreu em 12 de maio, após complicações cirúrgicas para remoção de tumor no pâncreas. Em seu discurso, ele destacou que assumirá o papel de oposição "ferrenha" à gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e de defesa dos interesses do agronegócio.

A declaração é entendida como afronta aos apoiadores do governo Lula que vem fomentado o desenvolvimento de políticas afirmativas aos povos originários no país. Em Mato Grosso, por exemplo, no dia 19 de abril, Lula assinou decretos de demarcação da Terra Indígena Cacique Fortuna, que fica entre os municípios de Luciara (a 1.082 km a nordeste de Cuiabá) e São Félix do Araguaia (1.062 km de Cuiabá), pleiteada há anos pela comunidade. 

"É explícito que ele defende interesses que vão na contramão dos nossos e contra tudo o que temos lutado para construir em questão de políticas públicas. Ele é contra demarcação de terras e ainda temos terrítórios para serem demarcados em Mato Grosso. Continuamos lutando pelo básico, que é o direito aos terrítórios", disse Eliane. 

"ANTI-INDÍGENA"

O deputado federal foi amplamente favorável à aprovação do marco temporal, que limitava as demarcações de terra indígenas ao período anterior à Constituição de 1988. Ele também propôs o pagamento de indenização aos propretários de terras que fossem afetados pela retirada de "não indígenas" em áreas designadas aos povos originários. 

Eliane Xunakalo avalia como "anti-indígena" a conduta de Barbudo quando as pautas do seu primeiro mandato são destrinchadas. 

"Não vejo, confirmo que ele é anti-indígena. As falas, as ações e ameaças, as coisas que ele tem feito são anti-indígena. O Barbudo representa isso: preocupação e uma defesa um pouco mais radical, porque estamos em constante diálogo. Não temos temor, temos preocupações", finalizou. 

Antes de ser empossado, Nelson Barbudo participou de reunião da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA). O deputado federal, que chegou a assumir o cargo de vice-presidente do grupo, foi convidado a voltar a integrá-lo na posição de membro. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros