Política Quinta-feira, 05 de Maio de 2011, 01:26 - A | A

Quinta-feira, 05 de Maio de 2011, 01h:26 - A | A

NOVO PARTIDO

PSD recebe adesão de Walter, Dilmar e Meraldo em ato surpresa

Reunião foi realizada na quarta à noite na AMM, sem alarde: cerca de 45 prefeitos e três federais também migração

 

Mauricio Barbant
José Riva descarta insegurança jurídica de quem tem mandato ao migrar para o PSD
Reunião realizada sem alarde na noite desta quarta-feira [04] na Associação Mato-grossense dos Municípios [AMM] em Cuiabá , mostrou pela primeira vez a força do movimento pela fundação do Partido da Social Democracia [PSD] no Estado, com direito ao anúncio de adesão à nova sigla dos deputados estaduais Dilmar Dal Bosco, atualmente no DEM, e do ainda progressista Walter Rabello.

Ao todo, cerca de 45 prefeitos de Mato Grosso, além de dezenas de vereadores e outras lideranças protagonizaram o primeiro ato em massa de apoio à criação do PSD, liderado no Estado pelo presidente da Assembléia Legislativa, o pepista José Riva, e pelo vice-governador Chico Daltro, que também deve deixar o PP. Foi Daltro, juntamente com o deputado federal Eliene Lima, quem organizou o encontro na AMM.

Com Dal Bosco e Rabello, já somam-se cinco deputados da Assembléia Legislativa que seguirão para a nova legenda: Airton Português e Luizinho Magalhães, além do próprio Riva. Todos deixarão o PP. Da bancada progressista no legislativo, apenas Ezequiel Fonseca e Antônio Azambuja [licenciado e hoje no comando da Secretaria de Estado de Esportes] permanecerão, ao menos por enquanto, no PP.

FATOR SINOP

Dilmar admitiu que a adesão dele ao PSD passa pelo fator eleições 2012 em Sinop [distante a 500 quilômetros ao norte de Cuiabá].

“Uma das grandes motivações de eu ir para o PSD é também para dar sustentação para campanha do Dilceu [irmão de Dilmar Dal bosco] para prefeito de Sinop”, argumentou o democrata, explanando que para o DEM não haverá perda, pois “ganhará a prefeitura de Sinop com o apoio do PSD”.

SEM MEDO

Já Walter Rabello, que, inclusive, teve o mandato anterior de deputado cassado pela Justiça Eleitoral por ter, em 2008, trocado o PMDB pelo PP, assegurou que está firme quanto ao que classifica de lealdade ao grupo político dele.

“Sei que tenho crédito no PP, mas devo muito a alguns companheiros, e eu sou leal sempre, e não tenho medo seguir junto nesse projeto, pois não sou filho de pai assombrado”, reforçou.

Rabello ainda não havia admitido a migração para o PSD e acredita no respaldo jurídico previsto na legislação eleitoral. Ele prevê forte migração para a nova sigla, de pretensos candidatos a deputado estadual em 2014 e, por isso, se ficar no PP, pode pegar uma chapa fraca de candidatos ao legislativo.

Com um discurso municipalista José Riva prometeu garantir a governabilidade de Silval Barbosa, mas por meio do vice-governador Chico Daltro, espera ganhar força do Executivo à nova sigla para também fortalecer os municípios.

Quanto a Dal Bosco e Rabello, Riva elogiou a coragem dos dois parlamentares em rumarem também para o PSD e minimizou os riscos de percalços jurídicos devido à migração.

“Não tem sentido a gente sair para dar um tiro no escuro. Temos que ter convicção que trata-se de um projeto viável em todos os aspectos, politicamente, juridicamente, enfim, já dá para ter confiança que não é um projeto construído de qualquer jeito; a gente ouviu muitas pessoas especialistas no assunto e ninguém iria mudar de partido se não tivesse esse embasamento”, assegurou.

2014

Riva desconversou quando questionado se entre as ambições do PSD, está a candidatura dele [deputado] ao governo do Estado em 2014 ou a de Chico Daltro, que hoje já é vice.

“A construção de um projeto maior não pode ser carimbado com Riva, Chico Daltro, etc. Se, no momento, nós tivermos um companheiro com condições de disputar uma eleição majoritária, vai ser esse companheiro; eu particularmente não tenho esse projeto”, adiantou.

2012

Para Chico Daltro, o PSD está nascendo com muita força no país e em Mato Grosso, mas isso não credencia, por si só, a sigla a disputar as eleições de 2014.

“Está sendo fundado agora em 2011 e, pelo curto prazo, vai se dedicar integralmente para 2012, buscando sair das urnas mais fortalecido do que vai nascer agora; e assim, traçar os rumos para as eleições de 2014”, sinalizou Daltro.

PREFEITOS

Entre os prefeitos que anunciaram seguir com Riva e Daltro está o atual presidente da AMM, Meraldo Sá [PR].

O PSD também terá de imediato três deputados federais: Eliene Lima, Neri Geller e Roberto Dorner, todos hoje pertencentes ao PP. Por enquanto, são apenas manifestações de adesão, até porque o PSD ainda não existe oficialmente. A meta é que, para ser criado em Mato Grosso sejam coletadas em torno de 50 mil assinaturas até o final de junho próximo, para que no mês seguinte seja efetivamente criada a nova sigla no âmbito estadual.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Revoltado 05/05/2011

Só raposa neste galinheiro! Definitivamente o partido jás nasce cheio de maçãs podres!

1 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros