Terça-feira, 28 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,62
libra R$ 5,62

Política Segunda-feira, 20 de Junho de 2016, 15:11 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 20 de Junho de 2016, 15h:11 - A | A

REPÚDIO AO PIQUETE

"Não vamos tolerar violência e baderna contra aqueles que querem trabalhar", diz Taques

RENAN MARCEL

Governador de Mato Grosso, Pedro Taques (PSDB) advertiu o movimento grevista nesta segunda-feira (20) e afirmou que não vai tolerar “baderna” ou “violência” semelhante ao episódio ocorrido na ultima sexta-feira (17), quando uma servidora da Secretaria de Fazenda (Sefaz) quase foi impedida de entrar no órgão para trabalhar.

 

Alan Cosme/HiperNoticias

Pedro taques

Governador lembra que greve foi considerada ilegal pelo TJ

Na ocasião, ela só conseguiu entrar na secretaria porque avançou com o carro contra os trabalhadores em greve.

 

“Sou contra o radicalismo. O direito constitucional à greve tem limites e o limite já foi dado pela Justiça, que decretou a ilegalidade da greve. Nós não vamos tolerar violência e baderna contra aqueles que querem trabalhar. Impedir as pessoas de trabalhar é crime”, disse Taques.

 

Os servidores estão em greve desde o dia 31 de maio e cobram o pagamento integral da Revisão Geral Anual (RGA), em 11,28%. O governo oferece 6%, a serem pagos em três parcelas. O restante ficaria para o próximo ano e também seria parcelado, com retroatividade ao mês de maio deste ano. O Fórum Sindical, no entanto, não concorda com a proposta.

 

Pelo menos 27 categorias de servidores públicos estaduais permanecem em greve, entre eles os professores, servidores do Detran, do Indea e da Saúde. Os delegados e peritos criminais encerram a paralisação.

  

Taques também afirmou que a sua gestão vai manter o diálogo aberto com os servidores. O governo afirma não haver recursos suficientes no caixa do Estado para o pagamento da RGA em 11,28%. Lembra ainda que os gastos com a folha salarial já ultrapassaram os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

 

Nessa segunda-feira, após a declaração, Taques seguiu para Brasília, onde cumpre agenda com o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB). Entre os assuntos da pauta está a renegociação da dívida com a União, que pode trazer alivio ao caixa do Estado e melhorar as condicões para honrar compromissos com a folha salarial. 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

celso cury 21/06/2016

Senhor governador é crime também dar CALOTE nos outros, pague o RGA

positivo
0
negativo
0

cafe 20/06/2016

GOVERNADOR VOCE TEM QUE PARAR DE NHE-NHE-NHE E TRABALHAR, JÁ TÁ CHEGANDO AMETADE DO SEU MANDATO E ATÉ AGORA NADA FEZ, SÓ CRITICOU O GOVERNO PASSADO, SE VOCE CONTINUAR DESSE JEITO VOCE VAI SER O PIOR GOVERNADOR DE TODA HISTORIA DO MT, VAI SER 10 VEZES PIOR DOQUE O GOVERNO DO SILVAL, DESDE O DIA EM QUE VOCE TOMOU POSE VOCE NÃO FEZ OUTRA COISA HÁ NÃO SER FALAR MAL DE OUTRO, CRITICAR, APRENDA UMA COISA QUE TEM TELHADO DE VIDRO NÃO ATIRA PEDRA, VAI TRABALHAR E RETORNAR A CONFIANÇA QUE O POVO TEVE EM VOTAR EM VOCE, EU GRAÇAS A DEUS NÃO VOTEI EM VOCE E NÃO TENHO ESSE PESO NA MINHA CONSIENCIA.

positivo
0
negativo
0

2 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros