Política Quarta-feira, 29 de Junho de 2022, 15:22 - A | A

Quarta-feira, 29 de Junho de 2022, 15h:22 - A | A

EMENDA DE R$ 450 MIL

Em defesa de Botelho, deputados culpam secretário de Cultura por reality show em VG

Presidente da AL reforça que foi ludibriado e diz para tema não entrar em debate eleitoral

RAFAEL COSTA
Da Redação

image

Um grupo de deputados estaduais utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira (29) para defender o presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (União Brasil) a respeito da destinação de uma emenda de R$ 450 mil para a realização de um reality show em Várzea Grande.

O reality, intermediado pelo ex-deputado estadual Jajah Neves, foi realizado pelo período de oito dias com a alegação de patrocinar a divulgação do potencial gastronômico e turístico de Mato Grosso.

O gasto considerado exorbitante e com desvio de finalidade, levou o Ministério Público Estadual (MPE) a abrir investigação para apurar suspeitas de ilicitudes.

Em discurso na sessão, Botelho voltou a dizer que foi enganado, pois acreditava que a emenda de R$ 450 mil de sua autoria seria destinada à qualificação de 1 mil influenciadores digitais para auxiliar na divulgação dos pontos turísticos de Mato Grosso.

"Espero que nenhum dos deputados passe a vergonha que eu estou passando. Eu imaginava que seria para qualificação profissional e fui induzido ao erro. Não adianta transformar esse debate em algo eleitoral. Temos que aprender a ter consciência e manter as emendas que auxiliam muito os municípios", pontuou.

Em seguida, o vice-líder do governo no parlamento, deputado estadual Wilson Santos (PSD), atribuiu ao secretário de Cultura, Esportes e Lazer, Jefferson Neves, a responsabilidade pelo mau uso do dinheiro. "Nenhuma emenda pode ser paga sem autorização do Executivo, se o deputado se equivocou, o filtro e a correção têm que ser feitos pela Secretaria de Estado. Então, se algum deputado destinar uma emenda para financiar uma casa de prostituição ou um centro de distribuição de drogas para adolescentes será pago?", questionou.

Membro da oposição, o deputado estadual Ulysses Moraes (PTB) também atribuiu responsabilidade ao secretário de Cultura, Jefferson Neves. E ainda criticou o que considera falta de critérios da gestão estadual para liberação de emendas parlamentares.

"Tenho emendas destinadas para a Saúde de Várzea Grande que até o momento não foram liberadas. No Pronto Socorro da cidade são pacientes atendidos nos corredores e até falta maca. E daí o governo do Estado libera R$ 450 mil para reality show? Cadê a adoção de critérios para pautar o interesse público? Não tem dinheiro para a saúde mas tem para reality show?", indagou.

Ulysses Moraes apresentou até um requerimento convocando o secretário de Cultura Jefferson Neves para comparecer à Assembleia Legislativa e prestar esclarecimentos a respeito do tema.

No entanto, orientados pelo líder do governo, deputado estadual Dilmar Dal Bosco (União Brasil), a base aliada do governo do Estado rejeitou o requerimento ao concordar que o secretário já comparecerá voluntariamente no debate relacionado ao projeto de lei de autoria do governador Mauro Mendes (União Brasil), ainda pendente de formatação, de limitar o volume de dinheiro de emendas parlamentares para patrocinar show nacional.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Benedito Rubens de Amorim 01/07/2022

O "erro" entre aspa$$$$ foi de todo$$$$ deputado estadual autor do projeto de emenda parlamentar repassada e secretário por ter repassado dinheiro pra orgia$$$$ LGBTIs de Jajah Neves e Cia entre eles o picareta William Sidney faxineira de Jayme Campos e picareta condenado por FAKENEWS a dezesseis anos de prisão. Amigo de Popó irmão prefeito Emanuel pinheiro de Cuiabá. Vai vendo esse mar de lama$$$$ do derramamento de dinheiro por EMENDA PARLAMENTAR cd o PELADÃO acontece ou não Wilson Santos?

Margareth 29/06/2022

Epa não, não.... culpar a gestão da Secel por esse escândalo das emendas não cola, pela primeira vez a cultura teve representantes preocupados e trabalhando em prol de todo segmento cultural, agora os oportunistas que usam a cultura para se dar bem ... Esses sabemos muito bem quem são.

Paulina 29/06/2022

Vocês estão fazendo isso mesmo? Como se não pressionassem a SECEL para liberar as emendas!? Vocês não tem uma equipe para analisar as propostas, não pedem projeto? Assumam e criem mecanismos de melhoria meu povo, criem critérios! Errar é humano, permanecer no erro é burrice.

3 comentários

1 de 1

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros