Política Quinta-feira, 13 de Outubro de 2011, 16:54 - A | A

Quinta-feira, 13 de Outubro de 2011, 16h:54 - A | A

A MALDIÇÃO

Divergências do PT devem inviabilizar pré-candidatura de Serys à prefeitura

Fantasma da briga interna entre a ex-senadora e Carlos Abicalil, que ocorreu pouco antes das eleições em 2010, pode surgir novamente se a petista resolver sair para concorrer ao Palácio Alencastro

NOELMA OLIVEIRA

Mayke Toscano/Hipernotícias

Vereador Lúdio Cabral tem trânsito livre entre as duas correntes do partido, mas também quer liderer projeto à Prefeitura de Cuiabá
Um grupo de petistas, amigos e até políticos de outras legendas, estão tentando convencer a ex-senadora Serys Slhessarenko (PT) a entrar na concorrência para a prefeitura de Cuiabá na eleição do próximo ano. As disputas internas na sigla são outra barreira a ser vencida.

A tendência da sigla, liderada pelo ex-deputado Ságuas Moraes, Alexandre Cesar e Carlos Abicalil, não fala de candidaturas.

Serys pode ser a única candidatura de uma mulher à eleição 2012. Os demais nomes cogitados à disputa são os empresários Mauro Mendes (PSB) e João Dorileo Leal (PMDB), o atual prefeito Chico Galindo (PTB), o ex-prefeito Roberto França (PSD) e o deputado estadual, Sérgio Ricardo (PR).

A ex-parlamentar até o momento s e esquiva de entrar na “briga”. Figuras conhecidas da sigla, como a secretária-adjunta de Direitos Humanos do Estado, Vera Araújo, o deputado estadual Ademir Brunetto e a ex-vereadora Enelinda Scala trabalham e defendem a candidatura de Serys.

Serys admite disputar para um grupo mais próximo, mas não tem mostrado empolgação, já que não anda fazendo nenhum trabalho específico em Cuiabá para viabilizar a sua candidatura.

Outro pré-candidato, o vereador por Cuiabá, Lúdio Cabral, tem conversado com tendências internas para viabilizar não apenas a sua candidatura a prefeito, como também para defender o projeto majoritário do partido na eleição do próximo ano.

A ex-parlamentar, que em 2010 foi derrotada na disputa a uma vaga para a Câmara Federal, tem forte inserção política e eleitoral em Cuiabá. Atualmente, Serys participa das discussões sobre o Rio+20 e mudanças climáticas e se divide em atividades fora de Mato Grosso.

O principal problema do partido está na disputa interna entre os grupos da ex-senadora e de Ságuas, que se agravou em 2010, quando ela perdeu a prévia e, consequentemente, o direito a disputar a reeleição. Às vésperas da convenção, Serys decidiu concorrer à Câmara Federal, mas não obteve êxito.

As brigas internas mostraram que os dois grupos saíram perdedores na eleição passada. O ex-deputado federal Carlos Abicalil foi derrotado ao Senado e Ságuas e Alexandre Cesar não se elegeram à Câmara Federal e Assembleia Legislativa, respectivamente. Um entendimento interno para sanar os problemas está sendo articulado pelo pré-candidato a prefeito, Lúdio que tem inserção nos dois grupos.

Em 2000, a então deputada estadual Serys, disputou a Prefeitura de Cuiabá contra Roberto França, ex-PSDB, que venceu a disputa à reeleição com 137.441 votos. Ela ficou em segundo lugar com 62.050 mil votos. Ainda concorreram a este pleito, o ex-prefeito Wilson Santos, então pelo PMDB e Emanuel Pinheiro pelo extinto PFL.

Clique aqui  e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros