Quinta-Feira, 28 de Maio de 2020, 09h:19

Tamanho do texto A - A+

Esposa de presidente da OAB-MT desabafa e diz que se sentia refém de constantes violências

Por: FERNANDA ESCOUTO E KHAYO RIBEIRO

A advogada e influenciadora digital Luciana Póvoas, que é esposa do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Mato Grosso (OAB-MT), Leonardo Campos, contou que se sentia refém das constantes e diversas violências cometidas pelo seu marido – que foi preso na noite de quarta-feira (27) por agredir fisicamente a companheira.

Reprodução

Luciana Póvoas e Leonardo Campo

Luciana Póvoas ao lado de Leonardo Campos

Emocionada, a advogada relatou ao HNT/HiperNotícias que a agressão física sofrida na noite de quarta-feira, quando foi empurrada pelo esposo contra um móvel, não era pontual e que ela já havia sido agredida em outras situações pelo companheiro. Além disso, a violência financeira efetuada por Leonardo seria um dos principais elos que mantinha a influenciadora presa à relação.

Após passar a madrugada na delegacia, ela relembra que todo episódio teve início com uma reação descompensada de seu esposo. “Ele desapareceu às 17h, sumiu de casa. Eu vi um roubo na imprensa de uma Hilux e pensei que ele tinha sido assaltado. Pensei um monte de bobagem e o Leonardo não atendia o telefone. Passou das 21h e ele não chegava em casa”, disse.

“Quando chegou, estava alterado, bravo. Ele foi ao banheiro, tirou o terno como se nada tivesse acontecido. Fui tirar satisfação, ele poderia ter se explicado sobre o atraso e eu estaria tranquila. Mas ele disse fod*** e me jogou na parede, no armário”, relembra a advogada.

Ao falar sobre a violência, Luciana, que é filha da desembargadora Maria Helena Póvoas, contou que o último episódio de agressão aconteceu no final de 2019. À época, ela disse ter prometido a si mesma que não apanharia novamente e por isso nesta quarta-feira procurou uma delegacia. Contudo, segundo a influenciadora, a polícia não cumpriu o protocolo necessário. 

“Eu cheguei à delegacia ele estava com os dois celulares na mão falando com a OAB como se não tivesse preso, pedindo ajuda como se ele fosse a vítima da história. Aquilo me chocou muito. Os agentes estavam parciais, mas a gente é louca, né!? Ele preso usando telefone, onde já se viu? Mandaram eu baixar o tom de voz, como se eu fosse a culpada”, desabafa a advogada.

Além das agressões físicas, que nunca teriam rendido nenhum tipo de penalização contra o presidente da OAB, a influenciadora aponta que também se sentia financeiramente refém de Leonardo. Ela conta que era sócia do marido no escritório de advocacia da família, mas que ele escondia os dados sobre as finanças para que ela sempre estivesse em uma situação de vulnerabilidade econômica.

Hoje, após o episódio recente de agressão, Luciana diz não se sentir segura, uma vez que o marido tem em sua posse uma arma de fogo e está prestes a ser solto. Abalada, ela questiona qual é a segurança que poderá resguardá-la de possíveis represálias por parte do advogado."A gente nunca imagina que isso vai acontecer. A gente vê isso em outros lugares, mas nunca imagina que pode acontecer a gente", finalizou a influenciadora, que deixou um alerta sobre como a violência contra mulher é perpretada nas mais diferentes classes sociais.

Leia mais:

Presidente da OAB-MT é preso suspeito de agredir esposa

Avalie esta matéria: Gostei | Não gostei