Sexta-feira, 12 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,92
libra R$ 5,92

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,92
libra R$ 5,92

Justiça Quinta-feira, 29 de Setembro de 2022, 15:35 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 29 de Setembro de 2022, 15h:35 - A | A

AO LONGO DO DOMINGO

Camisetas que deem conotação partidária estão proibidas a mesários

Em coletiva, presidente do TRE reforça necessidade do uso do bom senso diante da polarização estabelecida no pleito atual

DA REDAÇÃO

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (29), às vésperas do pleito de 2022, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT), Carlos Alberto da Rocha, foi taxativo sobre a proibição do uso de camisestas por mesários que deem conotação favorável a determinado candidato. Ele reforçou que as pessoas que trabalharão ao longo das eleições no domingo são servidores da Justiça Eleitoral e, por esse motivo, não podem fazer qualque tipo de manifestação tendenciosa no dia, sobretudo diante do clima de polarização que domina o país.

"Mesário não pode usar camisa da seleção brasileira, nenhuma veste que tenha conotação política. Ele é um servidor da Justiça Eleitoral. Essa pessoa vai estar lá representando a Justiça Eleitoral. Não tenho nada contra a camisa da seleção, mas isso tudo é em virtude da polarizaçao atual, desse momento da eleição. Polarizou de uma forma tal que implica em você ser partidário de candidato tal. O mesário está lá como um servidore da Justiça e a eles está vedada a utilização", concluiu.

O mesário que aparecer com alguma vestimenta que revela tendência em favor de determinado candidato vai ser convidado a se trocar. Se não trocar, o magistrado disse interpretar como resistênica e, nessa situação, ele será substituído pelo presidente da mesa.

Sobre o uso de vestimentas dos eleitores, o desembargador também explicou que não há restrição, desde que não se faça aglomeração de forma a dar a conotação de mobilização.

"Eu, minha esposa e meus três filhos vamos votar e queremos ir com a camisa verde e amarela, por exemplo. A gente pode ir ao local de votação, pegar a fila, votar e ir embora, sem problema nenhum. Agora, se a gente sai de lá e vai para outro colégio, isso configura aglomeração e mobilização. A mesma coisa o candidato, que pode ir com a camiseta dele votar, mas não pode sair de colégio em colégio com ela", esclareceu Rocha.

Por fim, o magistrado cobrou bom senso de todos envolvidos no processo eleitoral. "O que mais nós estamos pregando, não só para o juiz, mas para toda população, que tudo é uma questão de bom senso. O candiato pode ir votar com sua camiseta só que, se na hora que ele sair da votação começar a ir a todos os colégios, não pode. Não é permitdo que todos vão juntos ali como se fosse uma aglomeração", reiterou.

 DEMORA NA APURAÇÃO

 

O presidente do TRE-MT também foi questionado sobre uma eventual demora na apuração dos resultados, como ocorreu nas eleições de 2020, e informou ter mantido contato com o Tribunal Superior Eleitoral sobre o assunto. 

"Tivemos uma reunião com mnistro Alexandre de Moraes (presidnente do TSE) em que vários presidentes (de TRE) colocaram para ele a questão. Disseram que estão tentando resolver para que este ano não tenha esse problema. Não sabemos se vai vingar. O responsável pela Tecnologica da Informação aqui do TRE tem recebido informações de que o TSE já está preparado para não termos esse probelma".

 

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros