Copa Pantanal Sábado, 30 de Julho de 2011, 10:11 - A | A

Sábado, 30 de Julho de 2011, 10h:11 - A | A

QUASE DECIDIDO

Silval Barbosa recua e já admite levar adiante a implantação do BRT

Após ir a Brasília e se reunir com o ministro de Transportes, Paulo Sérgio Passos, governador não descarta a implantação do 'bus rapid transit' para Cuiabá e Várzea Grande

HÉRICA TEIXEIRA
herica@hipernoticias.com.br

 

Mayke Toscano/Hipernotícias
Governador não visualiza interesse de o governo federal optar pelo pelo modal de transporte VLT

 

O governador de Mato Grosso, Silval Barbosa (PMDB), muda tom de discurso e já fala em implantar o modal de transporte Bus Rapid Transit (BRT). Argumentou que se fosse pela vontade do governo seria escolhido o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), mas o governo federal ainda defende a matriz de responsabilidade do BRT.

Silval disse que se em 10 dias, contados a partir de sexta-feira (29), o governo federal não mudar a matriz de responsabilidade, o primeiro projeto aprovado, que é o BRT, já vai começar.

“Está difícil convencer a equipe da Gecopa (Grupo Especial de Acompanhamento de Obras da Copa 2014) em Brasília e do governo federal em mudar a matriz de responsabilidade (para VLT). Por mim escolheria um sistema mais moderno, com duração permanente, que é o VLT”, destacou Silval.

O presidente da Assembleia Legislativa, José Riva (PP), nunca escondeu preferência pela VLT, porém, quando perguntado sobre as declarações de Silval Barbosa, o deputado preferiu não se pronunciar porque ainda não falou com o governador.

“Eu ainda não conversei com o Silval, não vou me posicionar. Primeiro quero falar com o governador”, resumiu.

O líder do governo na Assembleia, Romualdo Júnior (PMDB), defende a implantação do VLT, por considerar um modal mais confortável e moderno, mas reconheceu que independente do que for escolhido, precisa de agilidade, os trabalhos precisam começar.

"Se é VLT ou BRT temos que definir logo, a população não aguenta mais esperar por esta definição. Acredito que tanto um como o outro será importante para Cuiabá”, defendeu.

Outros deputados por Mato Grosso estão divididos quanto a preferência pela escolha do modal de transporte. Ademir Brunetto (PT) disse ser favorável a implantação do BRT. A justificativa é que o custo para implantar o VLT é muito caro.

“O BRT é o modelo defendido em outras capitais. A diferença monetária de um para outro é muito grande. Na minha opinião é o BRT que vai ganhar, embora Riva seja defensor da implantação do VLT”, frisou.

Já a deputada Luciane Bezerra (PSB), defende o modal de transporte VLT. Para ela, algumas informações apresentadas elevam vantagens em se instalar o modal, no entanto, pontuou que valores têm ficar na casa dos R$ 700 milhões.

“O projeto que nos foi apresentado vai custar em torno de R$ 700 mil. Com este valor eu sou favorável, mas se para instalar o VLT ficar em R$ 1 bilhão, aí eu já acho caro demais, e valor foge da viabilidade do Estado”, defendeu.

Luciane disse ainda que projeto foi apresentado na Assembleia pelo presidente Riva e as informações são de que com o VLT haverá menos desapropriações.

“Com o valor em torno de R$ 700 mil e com menos desapropriações, aí eu sou favorável ao VLT”, conclui.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros