Copa Pantanal Terça-feira, 02 de Agosto de 2011, 16:12 - A | A

Terça-feira, 02 de Agosto de 2011, 16h:12 - A | A

CUIABÁ

Autoridades avalizam pesquisa sobre modal de transportes

Deputado José Riva e secretário Francisco Vuolo concordam com consulta popular

HÉRICA TEIXEIRA
herica@hipernoticias.com.br

Mauricio Barbant
Presidente da Assembleia diz que indice de aceitação deve ser maior, mas há um lobby

Políticos de Mato Grosso comentaram a consulta feita pela KGM Pesquisa e divulgada pelo Hipernotícias. A pesquisa foi feita para saber qual a preferência da população quanto a escolha do modal de transporte a ser implantado em Cuiabá e Várzea Grande, para viabilizar a mobilidade urbana nas cidades. O modal a ser escolhido está dentro das metas do Estado para sediar a Copa do Mundo de 2014.

A pesquisa apontou que o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) tem a preferência de 41% da população. Os que consideram o VLT o modal de transporte mais adequado soma 40,3%. E para 42% dos entrevistados, o VLT é o modal implantado em Cuiabá.

A KGM Pesquisas ouviu 600 eleitores do município de Cuiabá, em seus domicílios, nas quatro regiões da cidade, entre os dias 23 e 25 de julho. A margem de erro da pesquisa é de 4%, para mais ou para menos.

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso, José Riva (PP) acredita que aceitação do VLT poderia ser ainda maior. Para ele, há um “lobby” em favor do BRT (ônibus rápido em corredor exclusivo).

“Vi a pesquisa e a população entendeu que o VLT é o melhor modelo para ser implantado em Cuiabá. Acredito que aceitação da população poderia ser ainda maior, mas há um lobby para o BRT”, disse Riva.

O presidente elogiou a iniciativa da pesquisa e disse que é um importante ouvir a população, e questionou que valores que estão sendo divulgados para implantar o VLT não são verdadeiro. A explicação é de que o VLT iria custar ao Estado menos de R$ 700 milhões.

“Achei legal a pesquisa e a busca da opinião da população. O VLT é o mais confortável e vai custar menos de R$ 700 milhões e não R$ 1,1 bilhões. Além do mais, para a implantação do BRT serão necessários fazer muitas desapropriações”, frisou.

Riva disse ainda que vai realizar audiência pública para explicar de maneira técnica as características de cada modal. “Provavelmente na semana que vem realizo esta audiência para explicar os dois modelos. Acho importante explicar para a população que o BRT é um ônibus articulado”, pontuou.

O presidente da Assembleia criticou intervenção do Governo Federal, e disse que tanto um como o outro serão financiados.

Já o secretário de Acompanhamento Logística de Transportes, Francisco Vuolo, disse ser importante a pesquisa realizada pela KGM.

“A pesquisa é importante, conhecemos a tradição da KGM Pesquisas e a seriedade dos resultados. Parabenizo a pesquisa e a iniciativa”, elogiou.

Vuolo ainda enumerou as vantagens que o VLT tem em relação ao BRT, no entanto, ressaltou que qualquer que seja escolhido, vai melhorar a mobilidade urbana da Capital.

“A opção VLT ter ganhado mostra o conhecimento da população em relação as possibilidades apresentadas. O VLT é muito melhor que o BRT, é o mais ecologicamente correto, por utilizar corrente elétrica, é mais confortável e faz muito menos barulho”, destacou.

O governador Silval Barbosa (PMDB), foi procurado para falar sobre a pesquisa, mas estava em reunião e não pode falar.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros