Cidades Quinta-feira, 28 de Abril de 2011, 15:27 - A | A

Quinta-feira, 28 de Abril de 2011, 15h:27 - A | A

PRESSÃO NO ALENCASTRO

Servidores da Saúde fazem protesto por reposição das perdas no PCCS

Prefeito Chico Galindo pede 30 dias de prazo para resolver a situação

LUIZ ACOSTA

Luiz Alves/Câmara
Servidores da área de saúde da Capital foram protestar na Cãmara
Cerca de 150 servidores da rede municipal de saúde fizeram um manifesto em frente a Prefeitura de Cuiabá na manhã desta quinta-feira (27) para cobrar do prefeito Chico Galindo (PTB) correções dos salários no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) da categoria. De lá, seguiram em passeata para a Câmara Municipal, onde cobraram dos vereadores apoio para abrir uma negociação com a prefeitura.

De forma pacífica, os manifestantes convenceram os vereadores de Cuiabá que a situação precisa realmente ser revista, já que, sem receber nenhum tipo de reposição salarial já há 14 anos, de acordo com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (Sispumc), Jaime Metello, alguns servidores de carreira estão recebendo hoje vencimentos da ordem de R$ 486,00, menos de um salário mínimo, o que é proibido pela própria Constituição Federal.

Para dar amparo à reivindicações dos servidores, o presidente da Câmara, Júlio Pinheiro (PTB) suspendeu a sessão e liberou os vereadores para acompanhar a comissão de negociação e a direção do Sindicato até a prefeitura, onde o prefeito Chico Galindo recebeu os manifestantes e os parlamentares para dar início às conversações em torno de um entendimento.

Durante o encontro, o prefeito recebeu a minuta de um projeto que estabelece as correções salariais pretendidas pela categoria que, em alguns casos chega a 314%, referentes ao tempo sem sequer a reposição inflacionária.

“Hoje são cerca de 5 a 6 mil servidores na área de saúde, porém, 70% desse total são prestadores de serviços, portanto, não sendo inclusos no PCCS, o que significa que o desembolso da prefeitura para corrigir as distorções dos salários dos funcionários de carreira e dos demais servidores administrativos não será tão significativo a ponto de comprometer as finanças do município”, disse o presidente Jaime Metello.

REPASSANDO A CULPA

Ainda na Câmara Municipal, em discurso inflamado, o líder do governo, vereador Everton Pop (PP) tentou “blindar” a imagem do prefeito Chico Galindo, atribuindo toda a responsabilidade da situação aos ex-prefeitos de Cuiabá e, principalmente, ao mais recente, Wilson Santos (PSDB), afirmando que “Quem deveria ter assumido essa responsabilidade e cumprido o acordo com os servidores foi ele (Wilson) que enganou toda a sociedade cuiabana, inclusive eu, na campanha de reeleição, quando jurou amor eterno à capital de Mato Grosso e prometeu que uma vez reeleito jamais deixaria o cargo para disputar qualquer cargo, mas, acabou deixando todos na mão por mera vaidade de querer ser governador. Agora, derrotado, está fazendo doutorado em Portugal e não está nem aí para Cuiabá, onde o filho do pobre sequer tem uma escola decente para estudar”, argumentou.

OUTRO LADO

O prefeito Chico Galindo pediu 30 dias de prazo para avaliar a proposta dos servidores e apresentar uma contraproposta sobre o pedido de correção da categoria.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros