Sexta-feira, 12 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,92
libra R$ 5,92

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,45
euro R$ 5,92
libra R$ 5,92

Cidades Quinta-feira, 13 de Junho de 2024, 15:18 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quinta-feira, 13 de Junho de 2024, 15h:18 - A | A

DENTRO DE CASA

Professor preso acusado de estuprar aluno de 6 anos em Sorriso é encontrado morto

Polícia Civil confirmou que a causa da morte foi suicídio

DA REDAÇÃO

O corpo do professor Josias Souza, de 38 anos, foi encontrado na manhã desta quinta-feira (13), dentro de uma quitinete, em Sorriso (398 km de Cuiabá). A Polícia Civil confirmou que a causa da morte foi suicídio. Ele havia sido preso no dia 4 de junho depois de acusado de estupro de vulnerável ao ser visto com o pênis ereto perto de uma criança de seis anos. 

LEIA MAIS: professor do ensino fundamental é preso acusado de molestar aluno de seis anos

O Corpo de Bombeiros esteve primeiro no local e já constatou a morte. Foi acionada a Perícia Oficial de Identificação Técnica, que constatou que o caso se tratava de suicídio.

Conforme reportado pelo HiperNotícias, a polícia foi acionada pela Secretaria Municipal de Educação do município, que encaminhou uma notificação de violência relatando as atitudes do professor. Em uma atividade orientativa sobre as ações do movimento 'Maio Laranja', com palestra sobre exploração sexual infantojuvenil realizada no dia 3 de junho, na escola, alguns participantes relataram que o professor fazia ‘brincadeiras’ com toques, como colocar a mão por dentro da camiseta dos alunos e cócegas nas crianças.

As atitudes foram informadas à direção da escola, que observou a conduta do professor na sala de aula por meio de filmagens do circuito interno, onde ele aparece conduzindo um aluno para os fundos da sala e, depois, posicionando-se com a criança atrás de uma carteira, no último assento da sala.

Ali, o suspeito ficou sentado no chão com a vítima por quase 10 minutos. Estranhando a situação, uma colaboradora entrou na sala e foi até o professor, quando viu a criança deitada no chão de barriga para cima, e chamou o suspeito, pedindo que ele entregasse um documento à direção. O suspeito foi até um armário da sala de aula quando a testemunha relatou que o viu com ereção.

O corpo foi removido e encaminhado para o Instituto Médico Legal.

PEÇA AJUDA

O Centro de Valorização da Vida (CVV) oferece apoio emocional e prevenção do suicídio gratuitamente. O atendimento é realizado pelo telefone 188 (24 horas por dia e sem custo de ligação), chat, e-mail e pessoalmente em alguns endereços.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros