Quinta-Feira, 21 de Novembro de 2019, 10h:13

Tamanho do texto A - A+

Mutirão oferece 400 exames de fundo de olho gratuitos para pacientes diabéticos

Iniciativa é da Associação Mato-grossense de Oftalmologia, em parceria com Associação Mato-grossense de Atenção ao Diabético

Por: DA REDAÇÃO

Mayke Toscano - Gcom

cARAVANA DA TRANSFORMAÇÃO

 Exames servem para diagnosticar a retinopatia diabéstica, que atinge cerca de 30% dos pacientes diabéticos

Pacientes diabéticos poderão fazer exame de fundo de olho gratuitamente na Clínica Integrada da Univag no próximo dia 30, sábado da próxima semana, data em que acontece o 1º Mutirão do Diabetes, realizado pela Associação Mato-grossense de Oftalmologia (AMO). No total, serão oferecidos 400 exames, que servem para diagnosticar a retinopatia diabética.

De acordo com os organizadores do mutirão, as senhas serão distribuídas no mesmo dia do atendimento, a partir das 07:00h. Os atendimentos serão feitos entre as 08h00 e às 12h00 do dia 30.

O mutirão conta com a participação da AMAD (Associação Mato-grossense de Atenção ao Diabético) e faz parte das atividades do novembro azul, que também é o mês de combate ao diabetes.

Vice-presidente da AMO e coordenador do mutirão, o médico oftalmologista especialista em retina Rodrigo Sanches Oliveira explica que a retinopatia diabética é uma complicação do diabetes que compromete o olho, podendo levar à baixa da acuidade visual e, se não for tratada, pode causar cegueira definitiva. De acordo com os organizadores, essa é a principal causa de cegueira na população economicamente ativa no nosso país e no mundo.

De acordo com a AMO, o diabetes acomete, aproximadamente, 7% da população brasileira (14 milhões de pessoas) sendo que 46% destes não sabem que possuem a doença. A retinopatia diabética atinge 35% dos diabéticos.

“Como a população estimada de Cuiabá e Várzea Grande é de 897.518 pessoas, de acordo com o IBGE, estima-se que as duas cidades possuem mais de 62 mil diabéticos, dentre as quais, aproximadamente 21 mil pessoas com retinopatia diabética”, por isso a importância do mutirão, argumenta Andréia Vieira Berthi, presidente da AMAD.

Avalie esta matéria: Gostei +4 | Não gostei