Cidades Quinta-feira, 01 de Setembro de 2011, 11:11 - A | A

Quinta-feira, 01 de Setembro de 2011, 11h:11 - A | A

INVESTIGAÇÕES

Mortes de travestis foram motivadas por dívidas com traficantes

Polícia Civil descobre que assassinatos nada têm a ver com homofobia

DA REDAÇÃO

Mayke Toscano/Hipernotícias

O assassinato de dois homossexuais em Cuiabá, neste ano, ocorreu a mando de traficantes, conforme a Polícia Civil informou, na manhã desta quinta-feira (1). Foram executados Alisson Otávio Carvalho, 19, e Maildo dos Santos Silva, 33. Os crimes aconteceram nos meses de maio e junho, com intervalo de 10 dias para cada um.

Quatro pessoas suspeitas das sete que foram investigadas foram identificadas no envolvimento nas mortes. Dois são menores de idade.

Os suspeitos Cleberson Rodrigo Marques e Silva, 23, Alisson Paulo de Arruda, 29, e Paulo Cesar da Silva, 42, foram presos, interrogados e indiciados nesta semana. Um menor de 17 anos também foi preso e encaminhado à Delegacia Especializada do Adolescente (DEA). Outros dois são procurados pela polícia. Pelo menos três dos envolvidos nos crimes são traficantes da região do CPA.

O corpo do primeiro travesti, Alisson Otávio, foi encontrado no dia 28 de maio, dentro de um córrego, localizado na ponte de divisa do bairro Três Lagoas com o Vila Rosa, em Cuiabá, asfixiado com uma corda. Dez dias depois, o travesti Maildo dos Santos, foi assassinado da mesma forma. Seu corpo foi encontrado no bairro CPA 3, fundos da Lagoa Encantada, no dia 8 de junho.

De acordo com a delegada, Anaide Barros, responsável pelos dois casos, as duas vítimas se conheciam e faziam programas na mesma região. Nos dois crimes, as vítimas deviam uma quantia de dinheiro aos traficantes.

Conforme a delegada, nos dois homicídios está descartada a hipótese de motivação relacionada à homofobia. “A única situação é que os travestis são vítimas mais vulneráveis e não pela opção sexual”, esclareceu a delegada. Os depoimentos foram acompanhados por um representante do movimento GLBT.

.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros