Cidades Quarta-feira, 04 de Novembro de 2020, 16:20 - A | A

Quarta-feira, 04 de Novembro de 2020, 16h:20 - A | A

SUSPENSAS HÁ 8 MESES

Estudantes de medicina cobram retorno de aulas práticas no Júlio Muller

RAYNNA NICOLAS

Os estudantes de medicina da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Campus Cuiabá, exigiram o retorno das atividades curriculares no Hospital Universitário Júlio Muller (HUJM). Em nota divulgada pelo Centro Acadêmico XIII de Abril, os alunos expressaram indignação com a suspensão das aulas práticas no hospital, que já dura oito meses. 

Reprodução

Hospital Júlio Müller

Reprodução

As atividades estudantis foram suspensas em março de 2020, em decorrência da pandemia de Covid-19. Ao todo, 375 estudantes de medicina deixaram de ter suas práticas no hospital.

Em maio, o Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (Consepe) da UFMT regularizou o retorno dos estudantes às aulas no Júlio Muller. 

Segundo a resolução, os alunos dos dois últimos anos do curso de medicina, que são internos, poderiam voltar a praticar já naquele mês.

No entanto, seis meses depois, 69 alunos internos e outros 227 do ciclo básico permanecem sem as atividades práticas e sem perspectivas de continuá-las, de acordo com a nota divulgada pelo Centro Acadêmico de Medicina. 

Os alunos denunciaram que, desde a resolução do Consepe, os acadêmicos vêm cobrando "exaustivamente um plano de retorno às práticas", mas as tentativas de diálogo teriam sido marcadas por "esquivamento e reuniões dificultadas ou canceladas por parte do hospital".

"Cabe ressaltar que a Faculdade de Medicina da UFMT campus Cuiabá é a ÚNICA em toda baixada cuiabana que ainda se encontra com grande parte de suas atividades práticas suspensas. É descomedido o prejuízo aos alunos e à população mato-grossense ao se manter vagas públicas ociosas por tanto tempo, sobretudo porque Mato Grosso é um estado carente de profissionais médicos", escreveram os estudantes. 

Os alunos ainda argumentaram que a reivindicação pelo retorno do internato não implica prejuízos à atenção a pandemia, "já que é possível conciliar o atendimento aos pacientes com COVID-19 com os rodízios entre os internos". 

Reunião 

Na última terça-feira (3), a Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP) do HUJM convocou uma reunião em que, segundo os estudantes, foram esclarecidos os motivos para a demora do retorno do internato. O hospital também se propôs a planejar ainda nesta semana um calendário para retorno.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros