Sábado, 25 de Maio de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,17
euro R$ 5,61
libra R$ 5,61

Cidades Segunda-feira, 11 de Julho de 2016, 16:51 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Segunda-feira, 11 de Julho de 2016, 16h:51 - A | A

EPIDEMIA

Casos de dengue crescem 56% em Mato Grosso neste ano

RAYANE ALVES

Os casos de dengue em Mato Grosso aumentaram 56% nos seis primeiros meses deste ano em comparação com o mesmo período de 2015. Ao todo, já foram contabilizados 25.911, contra as 14.489 notificações do ano passado.

 

Assessoria

dengue

 

De acordo com o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde (SES), a incidência dos casos de dengue está em 690 casos para cada grupo de 100 mil habitantes.

 

Em Campo Novo do Parecis, há dois casos confirmados com sinais de alarme. Já em Juina, Confresa, Tangará da Serra e Sinop tem um caso grave confirmado cada um. Com relação ao número de óbitos, foram confirmados quatro, sendo um em Juina, Confresa, Sinop e Tangará da Serra.

 

Diante do aumento no número de casos notificados, a Secretaria de Saúde reforça o alerta para a intensificação das ações de prevenção e controle da dengue nos 141 municípios mato-grossenses.

 

Em relação ao zika vírus, foram registrados 22.530 casos suspeitos. Cento e vinte e dois municípios estão classificados com alto risco da doença, o que representa 86,5%.

 

Já a febre chikungunya teve 1.254 casos suspeitos registrados neste ano, o que representa uma incidência de 38 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Três municípios estão classificados com alto risco da doença.

 

 

O estado monitora semanalmente a progressão dos casos e faz o trabalho de orientação junto aos municípios para que as ações sejam intensificadas. Cerca de 80% dos criadouros do mosquito estão nas residências, por isso é importante o envolvimento da população.

 

Para reduzir os impactos causados pelo mosquito, a SES alerta os municípios para que mantenham a rede atenta para o diagnóstico precoce da doença e o manejo correto para que mortes sejam evitadas. Além disso, devem ser desenvolvidas ações de mobilização, inspeções domiciliares para eliminação de criadouros do mosquito, atividades educativas para orientar a população sobre como evitar focos do vetor, como também aplicação de inseticida para eliminação de insetos adultos.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros