Domingo, 21 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,60
euro R$ 6,10
libra R$ 6,10

Cidades Quarta-feira, 10 de Julho de 2024, 17:12 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Quarta-feira, 10 de Julho de 2024, 17h:12 - A | A

IMPROVISAM COM SACOLAS

Associação denuncia falta de bolsas de colostomia há mais de 3 meses no Júlio Muller

Uso é essencial para pacientes que passaram por cirurgias ou no tratamento de alguns tipos de câncer

ANDRÉ ALVES
Redação

Pacientes do Hospital Universitário Júlio Muller estão há mais de três meses sem receber as bolsas de colostomia que deveriam ser fornecidas pela instituição. A denúncia foi feita pelo coordenador estadual da Associação Mato-grossense dos Ostomizados, Antonio Amaral.

Essas bolsas são essenciais para pacientes que passaram por cirurgias no intestino, como tratamento de câncer ou diverticulite. Seu uso pode ser temporário ou permanente, dependendo da gravidade do caso. Em média, uma bolsa de colostomia precisa ser trocada a cada três dias.

"Essas bolsas são específicas para pacientes que necessitam após procedimentos cirúrgicos, para armazenamento de fezes ou urina", explicou Amaral.

"As bolsas são reguladas pela central de regulação do SUS e dispensadas pelo único polo, ou seja, o Hospital Júlio Muller. Se lá falta, todos os pacientes estão condenados a buscar outras formas de conseguir as bolsas", completou.

Segundo Amaral, estima-se que existam cerca de 1.200 pacientes que necessitam das bolsas, que podem custar mais de R$ 90 cada unidade. Sem consegui-las no hospital, esses pacientes precisam buscar outros meios de adquiri-las.

Dessa forma, aqueles que têm condição financeira compram o produto. Já outras pessoas improvisam usando sacolas plásticas ou de pano, colocando sua saúde em risco e limitando sua vida social.

Os ostomizados no estado tentam contornar a situação ajudando uns aos outros. Este é o caso de Elsa Maria Paim Ferreira da Luz, 45 anos, que devido a um câncer colorretal, necessita do uso da bolsa de forma definitiva.

"Eu estava sem, mas ganhei de uma amiga do grupo de ostomizados porque ela havia comprado bastante. Mas quando eu compro, eu pago R$ 90 a placa mais a bolsa", finalizou.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa do Hospital Universitário Júlio Müller informou que o ambulatório de estomaterapia atende pacientes ostomizados de Cuiabá e do estado há mais de 20 anos, com 465 pacientes cadastrados, mas que recebe valor suficiente para 276 pacientes. Desde outubro de 2023, não aceita novos pacientes devido à falta de material. 

 

LEIA A NOTÍCIA NA ÍNTEGRA

 O ambulatório de Estomaterapia do Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), atende pacientes que utilizam bolsas de ostomia do município de Cuiabá e demais regiões do Estado há mais de 20 anos. Hoje tem cerca de 465 pacientes cadastrados para esse atendimento.

O Hospital recebe para este atendimento o valor que consta no Convênio Assistencial 001/2022, firmado com a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, além de um incentivo estadual, através da Portaria nº 048/2018/GBSES. Este valor recebido, destinado ao atendimento dos pacientes ostomizados, daria para atender com fornecimento de bolsas, cerca de 276 pacientes.

Devido a impossibilidade de atender a demanda de todos os pacientes já cadastrados no hospital, em outubro de 2023 foi fechada a grade para novas primeiras consultas na Central de Regulação. Desde então não estão sendo recebidos pacientes novos, visto a dificuldade em comprar material para atender a demanda já existente.

Para minimizar impactos aos pacientes, várias ações têm sido feitas, como consulta e reavaliação de todos os pacientes já cadastrados por enfermeira especialista em ostomias, de forma a adequar da melhor forma possível, a compra do material à necessidade do paciente, melhorando o processo de compra e distribuição de material.

Paralelamente, a gestão do HUJM entrou em contato com a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso, e Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, na busca de solução, com reajuste dos valores contratualizados para este fim, através de aditivo na atual contratualização. O termo aditivo encontra-se em fase de análise.

Assim, aproveitamos a oportunidade para falar da importância da avaliação de todos os pacientes ostomizados que já estão cadastrados no HUJM, pedindo a colaboração de usuários e gestores das diversas secretarias municipais de saúde atendidas no agendamento dessas avaliações.

Para este agendamento favor procurar o guichê 11 da Central de Marcação de Consultas e Exames no próprio hospital ou através do número (65) 3615-7226, por ligação telefônica ou (65) 3615-7207 mensagem de WhatsApp.

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros