Quinta-feira, 18 de Julho de 2024
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png
dolar R$ 5,48
euro R$ 6,00
libra R$ 6,00

00:00:00

image
facebook001.png instagram001.png twitter001.png youtube001.png whatsapp001.png

00:00:00

image
dolar R$ 5,48
euro R$ 6,00
libra R$ 6,00

Brasil Terça-feira, 19 de Março de 2024, 17:00 - A | A

facebook instagram twitter youtube whatsapp

Terça-feira, 19 de Março de 2024, 17h:00 - A | A

Cidade de SP tem 3º verão mais quente das últimas décadas; o que esperar do outono?

CONTEÚDO ESTADÃO
da Redação

Em meio a uma onda de calor, São Paulo se despede oficialmente do verão às 0h06 desta quarta-feira, 20. A estação foi marcada por altas temperaturas e pela influência do El Niño, que colocaram o período como o verão mais quente dos últimos dez anos, atingindo média máxima de 30,2 ºC, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

No topo da lista, está o verão de 2014, que registrou 31,2 °C de média máxima, e o de 1998, o mais quente, com 30,3 °C. A série histórica de coleta de dados começa em 1961.

Agora vai começar o outono, que deve trazer redução das chuvas e a gradual diminuição das temperaturas no Estado de São Paulo.

Conforme dados levantados pela Inmet, durante o verão, o dia 29 de dezembro bateu recordes com o calor. A estação meteorológica do Mirante de Santana, na zona norte paulistana, onde são colhidas as medições oficiais, registrou máxima de 34,9º, maior temperatura para dezembro registrada em 25 anos.

Além das altas temperaturas, durante o período também foram observados eventos climáticos extremos. Já o dia de 14 de fevereiro foi classificado pelo instituto como o de maior volume de chuvas em um período de 24 horas, com 89,6 milímetros de precipitação.

Na capital o verão apresentou um total de precipitação de 761,7 mm, valor ligeiramente abaixo da média sazonal (de 1991 a 2020), que é de aproximadamente 800 mm.

Prognóstico para o outono

O Inmet destaca que a chegada da nova estação marca a transição entre o clima chuvoso e quente do verão e o período frio e seco do inverno. Em março, as chuvas devem diminuir e se tornar menos frequentes.

"A passagem de frentes frias na região é a maior responsável por regular o regime de precipitação durante esta época. Apenas os sistemas mais organizados são capazes de provocar volumes significativos de precipitação, tornando assim os eventos de chuva mais esporádicos", destaca o levantamento.

Já no mês de maio, as massas de ar frio começam a atuar com maior intensidade. Nessa época, as temperaturas costumam apresentar queda. Entre o fim de maio e o decorrer de junho, também se formam condições favoráveis à ocorrência de geadas.

O Inmet destaca que nessa etapa do ano, a umidade relativa do ar ficar mais baixa durante as tardes, apresentando valores por vezes menores que 30 %, especialmente no interior paulista.

Também é nessa época do ano, ao final do trimestre, principalmente, que os nevoeiros passam a ocorrer com mais frequência. O outono acaba em 21 de junho às 17h51min, quando começa o inverno.

(Com Agência Estado)

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia

Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros