Artigos Sexta-feira, 20 de Maio de 2011, 23:30 - A | A

Sexta-feira, 20 de Maio de 2011, 23h:30 - A | A

Formação Diferenciada

E um dia, com a licença poética que somente o livro didático escolhido pelo MEC pode ofertar, leremos a sincera opinião, sem as molestadoras aspas, que aqui se abrem.

FRANCO QUERENDO

Divulgação
E um dia, com a licença poética que somente o livro didático escolhido pelo MEC pode ofertar, leremos a sincera opinião, sem as molestadoras aspas, que aqui se abrem.

Uma coisa que preciso falar pra todo mundo é que cada um fala e escreve do jeito que quizer. Ninguém tem nada de ver com isso. O livro didático ensina assim e pronto. Quem é voçes pra criticar o livro didático? Quer saber mais que o professor? Se jornalista nem precisa ter diploma, então pra falar ou escrever portugues também num precisa de ser ladino, oras.

O que acontece é que todo mundo discrimina quem num fala bem. Professor falou que isso é preconceito “lingüístico”, só pelo nome dá pra ver que é coisa ruim. A gente num pode nem falar nada. Num dá nem pra escrever em computador, ele fica cheio de risquinho vermelho embaixo das palavra. Ou então fica com risquinho verde. É tudo quanto é risquinho pra cima da gente.

Isso é discriminassão. As elite num faz nem um computador pra gente escrever sem importunação, toda a tecnologia fica a serviço da capital e os interior fica esqueçido e largado pra própria sorte de morrer de fome ou na caba branca de doutor qualquer que atende a gente no corredor dos pronto socorro.

Me dá gastura essa cretinice. Já vi gente famosa falando errado e até ganhando a vida como artista sertanejo. Jogador de futebol que mais ganha dinheiro no mundo, num tem um que juga verbo do que jeito que voçes quer. Tem uns que nem conhece os verbo, só as carne. E ta todo mundo ganhando dinheiro. Então eu to desconfiado que isso tem uma talagada de inveja. Isso mesmo. As elite num gosta de gente diferenciada, que veio de baxo.

O poblema é que voçes quer saber mais do que o Ministério da Educação, que só tem gente preparada, letrada e doutorada, gente que trabalha só com isso. Temos que deixar cada uma fazer o seu trabalho. A educação brasileira evoluiu, mas houveram tempos piores.

Ao invés de discriminar quem não fala do jeito que voçes quer, devia de ajudar. Isso é científico e comprovado que quando dá oportunidade as coisa melhora pra todo mundo. Nós sabemos que de trupicão em trupicão é que a gente aprende.

As pessoa num são assim porque elas quer. Mas se elas quizer ser assim, qual o poblema? Elas paga imposto igualzim você. Tem gente que prefere ser corintiano. Voçes ia bater no seu filho e tratar ele com criminofobia porisso? Claro que não.

Intão é isso que eu pesso: Ao invés de criticar, ajude. Saiba que dentro de cada um tem um ser humano que não é inguinorante, gente que preciza de oportunidade, gente que como eu defende o livro didático porque ele ajudou muito na matemática e até no portugueis. Porisso que sempre falo que no portugueis até que nóis perde, mais na matemática, por enquanto, ninguém nos correge.

Fecha aspas.

(*) FRANCO QUERENDO é advogado e professor. Twitter: @francoquerendo

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do site de notícias www.hnt.com.br

 

Clique aqui e faça parte no nosso grupo para receber as últimas do HiperNoticias.

Clique aqui e faça parte do nosso grupo no Telegram.

Siga-nos no TWITTER e acompanhe as notícias em primeira mão.

Comente esta notícia


Algo errado nesta matéria ?

Use este espaço apenas para a comunicação de erros